Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Dia da consciência negra - farsa

Luciano Alvarenga
No dia da consciência negra não há nada. Assim como não há nada no dia da proclamação de República. Isso por que as duas coisas no Brasil não tem significado. O dia da suposta consciência negra é um embuste. É a tentativa do movimento negro de apagar o passado, reescrever a história, coisa típica nos movimentos de esquerda, de esvaziar o 13 de Maio, esse sim cheio de significado e riqueza histórica; conseguiram. O 13 de maio desapareceu dos calendários escolares.
O dia da consciência negra é mais um produto na prateleira de ofertas dos movimentos sociais brasileiros, assim como o é as cotas nas faculdades. O dia da consciência negra está pra clarividência de qualquer coisa, assim como as cotas está pra melhoria da escola pública brasileira.
Consciência negra é o movimento negro, como a esquerda inteira, tentando cindir a sociedade brasileira, dividi-la em quantos ódios for possível. A miscigenação brasileira, cantada na sociologia, na arte, na literatura, na música, no teatro, reconhecida mundialmente (especialmente nesses tempos de ódios étnicos e religiosos), é aqui negada pelo movimento negro. O movimento negro brasileiro não teria nenhuma importância se não inventasse a cisão, a separação, o ódio. Como falar em negros onde a população brasileira se vê em mais de duas mil cores (IBGE, 2000).
O movimento negro é o atraso, como tantos outros em andamento na sociedade brasileira atual; ele nega a capacidade e a herança histórica miscigenada do Brasil e do brasileiro e, mistura alhos com bugalhos, na tentativa de explicar nossa realidade étnica e cultural a partir da matriz econômica, como se a economia fosse a única dimensão da vida a criar cultura.
Antes nos enxergávamos como brasileiros, como partícipes de um mesmo destino histórico comum, irmanados no desejo de uma sociedade melhor e mais equilibrada e justa, agora nos vemos como soldados, de grupelhos, criados na artificialidade manipulada dos discursos e teses das ciências sociais. Não há nada mais longe das teses acadêmicas sobre o Brasil atual, do que o Brasil real.
O dia da consciência negra é mais um dia, a se somar a tantos outros nesses últimos tempos, que visam única e exclusivamente criar um país cindido, dividido em ódios, de tal maneira que uma classe política e intelectual possa representá-los como política de conquista de poder.
Por que no fundo é isso, conquista de poder manipulando o povo em nome de coisas que o povo, muitas vezes, não quer, não aceita.


Nenhum comentário: