Pular para o conteúdo principal

Dia da consciência negra - farsa

Luciano Alvarenga
No dia da consciência negra não há nada. Assim como não há nada no dia da proclamação de República. Isso por que as duas coisas no Brasil não tem significado. O dia da suposta consciência negra é um embuste. É a tentativa do movimento negro de apagar o passado, reescrever a história, coisa típica nos movimentos de esquerda, de esvaziar o 13 de Maio, esse sim cheio de significado e riqueza histórica; conseguiram. O 13 de maio desapareceu dos calendários escolares.
O dia da consciência negra é mais um produto na prateleira de ofertas dos movimentos sociais brasileiros, assim como o é as cotas nas faculdades. O dia da consciência negra está pra clarividência de qualquer coisa, assim como as cotas está pra melhoria da escola pública brasileira.
Consciência negra é o movimento negro, como a esquerda inteira, tentando cindir a sociedade brasileira, dividi-la em quantos ódios for possível. A miscigenação brasileira, cantada na sociologia, na arte, na literatura, na música, no teatro, reconhecida mundialmente (especialmente nesses tempos de ódios étnicos e religiosos), é aqui negada pelo movimento negro. O movimento negro brasileiro não teria nenhuma importância se não inventasse a cisão, a separação, o ódio. Como falar em negros onde a população brasileira se vê em mais de duas mil cores (IBGE, 2000).
O movimento negro é o atraso, como tantos outros em andamento na sociedade brasileira atual; ele nega a capacidade e a herança histórica miscigenada do Brasil e do brasileiro e, mistura alhos com bugalhos, na tentativa de explicar nossa realidade étnica e cultural a partir da matriz econômica, como se a economia fosse a única dimensão da vida a criar cultura.
Antes nos enxergávamos como brasileiros, como partícipes de um mesmo destino histórico comum, irmanados no desejo de uma sociedade melhor e mais equilibrada e justa, agora nos vemos como soldados, de grupelhos, criados na artificialidade manipulada dos discursos e teses das ciências sociais. Não há nada mais longe das teses acadêmicas sobre o Brasil atual, do que o Brasil real.
O dia da consciência negra é mais um dia, a se somar a tantos outros nesses últimos tempos, que visam única e exclusivamente criar um país cindido, dividido em ódios, de tal maneira que uma classe política e intelectual possa representá-los como política de conquista de poder.
Por que no fundo é isso, conquista de poder manipulando o povo em nome de coisas que o povo, muitas vezes, não quer, não aceita.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…