Pular para o conteúdo principal

Isabela Nardone foi morta em nome da felicidade

Luciano Alvarenga

Estamos as vésperas do natal, isso deveria significar, nascimento, vida nova, recomeço, harmonia e vida.
E é exatamente agora que ficamos sabendo que o avô de Isabela nardoni, aquela garota que foi assassinada pelo próprio pai com a ajuda da madrasta, pode ter sido cúmplice na morte da neta.
Pai mata, madrasta ajuda e avô esconde o assassinato ficando em silêncio. É o que denuncia ao ministério público uma anônima funcionária do presídio onde Carolina jatobá, a madrasta cumpre pena.
Como explicar essa ordem de coisas? Loucura não é, falta de comida ou ódio também não, simplesmente o desejo de ser feliz sem ser importunado.
Quem era Isabela, era a garota do casamento anterior, aquele casamento que não deu certo. Aquele casamento que fica na lembrança como um momento perdido.
Isabela é o passado convivendo no presente num casamento novo, onde ela não é parte. Afinal, ela é filha da ex-mulher, aquela que não quero ver, nem saber dela. Isabela é a pedra no sapato impedindo os dois pombinhos de viverem o amor e a felicidade.
Isabela precisa desaparecer pra que os dois possam viver sua felicidade sem problema, sem rancor, sem mancha nem lembranças passadas.
Afinal, não ouvimos nestes 30 anos que todos temos direito de sermos felizes, e, que ninguém pode nos impedir de realizar isso. Ninguém!!
Nem mesmo a filha da ex-mulher.
Alexandre matou a própria filha pra poder ser feliz num casamento que não cabia a filha do casamento falido, mal fadado, horrível e que acabou e que precisamos esquecer pra que não atrapalhe os sonhos de felicidade que agora Alexandre a e madrasta assassina podem viver.
E quem pode impedi-los de serem felizes, até o avô da garota entender a importância de se eliminar a pedra no sapato que impedia a nova família de ser feliz.
Por que é isso, o assassinato de Isabela revela o desejo de ser feliz.
Quando o desejo de ser feliz é mais importante que tudo, as vezes é preciso matar pra poder realiza-lo.
Precisamos pensar melhor quando dizemos que felicidade está acima de tudo. Tem muita gente levando isso a sério. Alexandre Nardone foi um.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…