Pular para o conteúdo principal

Julgamento do Mensalão acabou

O fim do caso AP 470 -  Ruda Ricci

Acabou. Agora são meras tecnalidades que faltam ser superadas. Do tal "núcleo político", a partir de hoje Genoino, Delúbio e Zé Dirceu devem se apresentar para cumprir, inicialmente, pena em regime semiaberto.
Reforço minha plena certeza na ingenuidade de Genoino. Seu irmão tem razão ao afirmar que o melhor deputado federal que o Brasil produziu no pós-regime militar foi usado nesta história toda. Genoino é espartano. Eu o conheci lá atrás, nos anos 1980. Honesto e correto, altamente ético, inclusive com lideranças de correntes adversárias à sua. Fico constrangido em ver alguns afoitos baterem os pés para conduzir um massacre moral sem ter a mínima noção sobre quem estão falando.
Zé Dirceu cometeu erros grosseiros, desmontou o que o PT tinha de mais inovador na política nacional e se fiou pela conquista - a qualquer custo - do poder. Eu mesmo sofri nas mãos dos, digamos, operadores de Zé Dirceu quando era coordenador de subregião no oeste paulista. Rogério Buratti et caterva aparelharam a Secretaria de Organização e, por ali, construíram a "virada burocrática" do PT (primeiro, em SP, depois, dez anos depois, no PT Nacional). Resisti até onde podia ao ataque frontal que este agrupamento fez à Convergência Socialista e organização de Genoino. Eu não fazia parte de nenhuma delas, mas sempre me confrontei com solução administrativa para diferenças políticas. Pior: percebia que o grupo de Zé Dirceu jogava com a falta de formação e ingenuidade de grande parte dos dirigentes do interior. Uma espécie de caça às bruxas, contra os que "comiam criancinhas" no interior do PT. Uma vergonha.
Mas, sejamos sinceros, não há uma prova concreta contra Zé Dirceu neste caso.
Delúbio, ahh, deixa para lá. Havia um apelido, nada abonador, que os assessores nacionais da CUT davam ao Tesoureiro que se relacionava com a pasta que sempre carregava. Muito conhecido no meio. Mas sempre foi uma figura menor.
O fato é que Genoino é um dos militantes mais íntegros que conheci na minha vida.
Não merecia isto. De jeito algum. Mas devia ter pensado melhor onde se metia, depois de ter sido cristianizado como candidato a governador.
Agora, resta saber como serão tratados os envolvidos no mensalinho tucano.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…