Pular para o conteúdo principal

Estupro: No G1 Duas matérias com mesmo teor e visões opostas.


A primeira aponta negativamente o estupro, o que é a leitura correta e comum. A segunda deixa as pessoas em dúvida, ou pelo menos sem saber o que pensar, sobre condenar o estupro. Criar esse sentimento de confusão é deliberado e visa desmontar as defesas emocionais e intelectuais das pessoas sobre um determinado assunto.  L.A


1. ‘Eu tinha que reagir’, conta adolescente que se livrou de estupro ao cortar agressor com copo quebrado



Uma adolescente de 13 anos usou uma taça para se defender de um homem que invadiu a sua casa e tentou estuprá-la, na manhã desta quinta-feira, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ela usou os estilhaços para cortar o agressor, que a imobilizava com uma gravata na sala. Depois de se livrar dele, a garota conseguiu fugir de casa, buscando refúgio na casa da tia, que mora na mesma rua da família. Ferido com cortes pelo corpo todo, o estuprador ainda foi agredido por moradores e acabou preso em flagrante, por estupro de vulnerável.
- Na hora, eu tive medo. Mas nem pensei direito. Eu tinha que reagir - contou a garota, que se cortou na mão e na perna direita enquanto reagia à tentativa de estupro.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/eu-tinha-que-reagir-conta-adolescente-que-se-livrou-de-estupro-ao-cortar-agressor-com-copo-quebrado-7769749.html#ixzz2MstbqrjD


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/eu-tinha-que-reagir-conta-adolescente-que-se-livrou-de-estupro-ao-cortar-agressor-com-copo-quebrado-7769749.html#ixzz2Mst7b0NE

2. Mulher encontra bêbado deitado em calçada e faz sexo com ele na China

Chinesa iniciou ato sexual no meio da rua e foi fotografada por pedestres.
Caso virou piada e homens deitaram na rua para se tornarem 'alvos'.

Usuários da rede social chinesa Weibo (equivalente ao Twitter) ficaram chocados quando avistaram uma mulher fazendo sexo com um homem bêbado, que estava deitado no meio da rua em Chengdu, na China. Assim que avistou o homem, a chinesa tirou as calças do bêbado, o acordou e iniciou o ato sexual no meio da rua, sem se preocupar com os pedestres.
http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2013/03/mulher-encontra-bebado-deitado-em-calcada-e-faz-sexo-com-ele-na-china.html


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…