Pular para o conteúdo principal

Paraibuna: um recado para a oposição



Os números por si só são frios parecem até não dizer nada, porém estes números e as estatísticas devem ser avaliados e interpretados. Por exemplo, os números desta eleição nos deixam boas lições e nos mostram algumas tendências para o futuro. A enorme diferença do Barros para o seu opositor, que foi a maior da história de Paraibuna e a maior diferença percentual nas cidades de todo o Vale do Paraíba, nos mostra que além da aceitação do nosso excelente prefeito ser muito grande há também uma gigantesca rejeição às ideias e ideais da oposição. Os 3 mil votos que a oposição teve faz parte do histórico político do nosso município, que me perdoe o peixeiro pela comparação, as se fosse ele o candidato a prefeito teria o mesmo número de votos, pois quem votou contra nosso querido Barros, votou por pura rivalidade política e não pelo bem estar de nossa cidade.
Vamos agora analisar e tentar entender o número para vereador. A população votou no último domingo nos candidatos a vereador para compor nossa Câmara, escolhendo entre todos os 11 candidatos que ela achava mais bem preparados para nos representar no legislativo, e é óbvio que sem nenhum candidato da oposição entre os onze escolhidos pela grande maioria dos eleitores. Os únicos 2 vereadores da oposição que entraram, foram pela regra do jogo, que na minha opinião é injusta, porém regra é regra e tem que ser cumprida.
Só que nosso povo não vota em partido vota em pessoa e os números que não mentem, mostram que o povo não queria nenhum desses 2 vereadores na Câmara; esses dois que aliás entraram pela cota de um partido do qual nem faziam parte à meses atrás, partido pelo qual não possuem nenhuma identificação.
Agora quero apenas deixar claro um conselho, números tão expressivos como estes estão ai para ensinar. Na outra eleição a diferença de 2800 votos, nesta, 4500. Ou a oposição muda a maneira de fazer política, parando com ataques infundados e choradeiras sem motivo ou, na próxima eleição nossa supercampeã de votos Helô terá sozinha mais votos que os candidato a prefeito.
Acho super importante para a democracia uma oposição forte, por favor, cresçam, melhorem, escolham no mínimo bons nomes para representá-los ou Paraibuna deixará de ter oposição.
Autor: Alguém de Branco

Comentários

Sebo Paraibuna disse…
Ótimo texto!
Com destaque para o trecho "Ou a oposição muda a maneira de fazer política, parando com ataques infundados e choradeiras sem motivo"
Mulher de Preto disse…
Lixo de texto ... generalizam os votos sem saber a real opinião de quem votou.
Ps: Qual foi o seu preço? Houve licitação?

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…