Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Eleições em Rio Preto: primeiras impressões


Luciano Alvarenga


Destarte os acordos firmados entre o PT e PMDB Estadual e Federal, é possível que o grande derrotado destas eleições tenha sido o deputado federal Edinho Araújo, segundo já afirmou no Facebook Damaris Irae Jacometti. O grande vitorioso certamente o prefeito Valdomiro Lopes. Mas sobre quem mais pesa dúvidas é João Rillo.
O eleitorado do Edinho não migrou, como alguns esperavam, para a candidatura do petista. O eleitorado do Edinho manteve o apoio ao Valdomiro. Edinho migrou para o Rillo, mas seus eleitores não. Valdomiro se tornou herdeiro de todo um conjunto de projetos e obras iniciadas nos tempos do Edinho e que agora fatalmente terão nova paternidade.
Rillo sai da campanha sem identidade. Diferente de 2008 quando perdeu, mas não saiu derrotado, agora perde de forma contundente, apesar da votação significativa, com muitas pontas soltas em seu repertório político, como é exemplo a companhia de seu ex desafeto Edinho Araújo. Perder no primeiro turno demora um pouco mais para digerir.
Mané foi mais importante para o Rillo em 2008 do que Edinho agora. Valdomiro conseguiu transformar uma candidatura desacreditada em 2008 em uma força política agora. Terá que lidar com os Vaz de Lima.
Bellodi conseguiu o inimaginável para um out sider na política, mas não conseguiu se consolidar como Terceira Via. E há explicações para isso. Seu futuro dependerá de como irá tecer o pós eleição.
Mané passou. Seu último ato foi em 2008 quando fez João Paulo chegar ao segundo turno. Se tivesse encerrado sua carreira ali, terminaria num grand finale, tendo em vista as circunstâncias. Preferiu mais uma cena e...
Marcelo Henrique ficou metade da campanha criticando o Rillo e no fim percebeu que o adversário da esquerda era o prefeito. As razões do PSOL preferir ter candidato a prefeito, sem nenhuma viabilidade eleitoral, à reeleger seu mais importante nome político na cidade, o vereador Pedro Roberto, é inexplicável. Trocaram o nós pelo eu. Deixaram o protagonismo da oposição no Legislativo nas mãos do PT.
Por ora é isso. Luciano Alvarenga, Sociólogo.

Nenhum comentário: