Pular para o conteúdo principal

A noite entristecedora da Acirp



O debate articulado na “Casa do Empresário”, nos termos da presidente da Acirp Adriana Neves, foi um retumbante fracasso. O que se viu nessa noite do dia 02 de outubro de 2012 foi um momento triste na história da Acirp.
O debate flagrantemente armado para favorecer o prefeito Valdomiro foi solenemente abandonado pelos outros candidatos, um gesto histórico no mesmo momento em que nos coloca a pensar sobre a grandeza? das associações civis e de classe de Rio Preto.
O que vimos ao longo dessa eleição foi uma infindável quantidade de debates armados por Associações como OAB, Rotary, Acirp e outras e que apenas serviram para tornar claro o profundo desprezo do prefeito pela democracia e pelo debate público. Mas não apenas isso evidenciou também como estas mesmas associações perderam força e influência.
Como explicar a ausência do prefeito no debate da OAB ao mesmo tempo em que nem mesmo os advogados da cidade lá estiveram? Como explicar que ausência do prefeito nesse debate não redundou nem mesmo uma nota de repudio da OAB nos jornais pela ausência do prefeito candidato?
O ponto mais baixo dessa nova realidade de esvaziamento das associações de Classe na cidade é o debate da Acirp, que mencionei acima; uma clara armação dessa entidade com o prefeito e que os outros candidatos não endossaram. Como uma entidade de classe dessa importância que tem o seu último presidente, Maurício Bellodi, como candidato a prefeito da cidade pode ter se diminuído ao ponto de aceitar um conluio que visava ridicularizar os candidatos a prefeito da cidade? Como o candidato, de origem empresarial da entidade Acirp, pode ter sido menosprezado a esse ponto?
 Como explicar que Acirp prefira uma posição subalterna em relação ao prefeito a apoiar um candidato oriundo de suas fileiras? Como explicar que Acirp tenha se privado de demonstrar sua força preferindo a posição secundária ao lado do Valdomiro?
Como explicar que além de se abster de demonstrar força ao lado de um candidato arregimentado em suas fileiras, a Acirp ainda tenha se permitido fazer o jogo chão do prefeito numa armação que visava empobrecer o único debate que o prefeito aceitou ir?
Rio Preto precisa se pensar, seus lideres precisam se redescobrir. E as entidades da cidade precisam estudar sua própria história. Luciano Alvarenga

Comentários

Jorge Vermelho disse…
Luciano
Muito consciente seu questionamento e atualmente ele deve ser multiplicado, pois o que estamos vivendo em Rio Preto, me parece a maior postura de passividade que já vi diante da absurdidade e obscuridão que estamoss mergulhaos.
Multipliquemos suas palavras !
Abraço
Jorge Vermelho
dan disse…
Luciano, vê-se quão pouco tempo teremos para a multiplicação de seu texto, como diz o Jorge Vermelho. O mais entristecedor nesta história é que um dos candidatos foi seu presidente e guiou-lhe o destino. O mais ainda está no fato de que cada qual teria entre os seus, apenas 10 convites e par ali compareceram centenas de apoiadores do Valdomiro. Não me venha dizer que para ali acorreram por determinação própria eis que o local não é público e sim com presenças garantidas. A contarmos a história, eis que a população moscovita abandona a cidade ao inteiro dispor de seu invasor, Adolfo que se enfureceu por não ter em suas mãos o armistício decorrente do rendimento. Fique com os seus senhor candidato e faça bom proveito.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…