Pular para o conteúdo principal

João Batista: perder sem ser derrotado


Paraibuna
O maior desafio do João Batista nessa eleição é perder sem ser derrotado. A incapacidade crônica da oposição de articular uma crítica à administração do Barros a deixa mais frágil nesse pleito eleitoral. O que falar ao eleitor, se falar agora por que não disse antes.
A administração do Barros está cheia de “buracos”, cheia de deficiências, todas elas podiam ter sido discutidas pela oposição, mas não foram. Vamos a alguns. Problemas na Saúde, pessoas com epilepsia e que dependem de alguns remédios não os encontram no Posto. Educação, salários. Obras, estradas rurais péssimas, poderiam ter feito um trabalho muito melhor nesse ínterim e não fizeram. Esportes, a própria presença do Laurinho. A prefeitura está comprando uma quantidade imensa de imóveis na cidade, para quê? Para que uso? A escolinha Santinha Moura foi demolida, por quê?
Muitas coisas poderiam ter sido usadas pela oposição para debater a administração atual. O Barros me pareceu bem nos dois primeiros anos, de repente a impressão que comecei a ter é que administra sem direção, não se sabe para onde a coisa está indo. A oposição como sempre fica esperando algum anjo descer do céu e lhe dizer o que fazer.
Esta eleição é o primeiro turno para o João. A disputa mesmo será contra o Vitão ou Helô. A questão é como se colocar para o eleitorado este ano. O João não tem uma boa aceitação na cidade o que já é uma evidencia de onde ele deve fazer sua campanha. Outra coisa é deixar claro que será candidato em dois turnos. Arregimentar o eleitorado que tem uma inclinação em votar na oposição e mostrar que é fundamental que ele seja bem votado. Se ele tiver 3 mil votos está ótimo.
Outra coisa esconda o PT da campanha. Em Paraibuna o PT nunca foi nada e nem bem visto. Aliás, o que o PT estadual quer é que o João apareça e não o PT. O João tem uma imagem na cidade melhor do que Partido dos Trabalhadores. É o PT que está pegando carona com o João e não o contrário.
E por último, João apareça logo e diga qual é a sua. O único que quer que a eleição demore a começar é o Barros. Luciano Alvarenga



Bom dia, Luciano tudo bem?

Ao ler seu e-mail me chamou a atenção sua colocação sobre a saúde do município, pois está diretamente ligado ao meu serviço. "Pessoas com epilepsia e que dependem de alguns remédios não os encontram no Posto", que pessoas? Quais medicamentos? Os medicamentos preconizados pela atenção básica, indicados para epilepsia, não estão em falta e os indicados pelos neurologistas do AME onde encontram os especialistas de nossa referencia, quando não fazem parte da atenção básica, são prescritos em formulários próprios, que são os medicamentos especializados, antes conhecidos como alto custo e que assim que nosso munícipe retorna com tal solicitação a mesma é encaminhada para que seja providenciada sua medicação conforme protocolo estadual.
Abraços

        Priscila Ebram

Comentários

Anônimo disse…
Bom dia!

É... O medicamento para epilepsia é o mais comum de se encontrar na rede pública. Deve ter havido um pouco de falta de informação antes de falar sobre o assunto.

Sucesso a todos!

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…