Pular para o conteúdo principal

Democracia no Conselho de Previdência é prevenção à corrupção


Mário José Piccarelli de Castro 
 
Mais uma vez o prefeito Valdomiro Lopes mostra as garras contra os servidores e contra a democracia.
Já é sabido que ele tem feito vários esforços no sentido de tomar, mesmo que a força, todos os meios democráticos pelos quais os servidores podem fiscalizar, propor e, de forma geral, atuar para que a administração pública não faça o que bem entender em detrimento dos interesses da população. Para ilustrar, lembremos do caso do Conselho Municipal de Saúde, onde até corrente colocaram na porta para que os servidores eleitos não trabalhassem... vale lembrar , também, que até o Sindicato o prefeito queria controlar, através de apoio a uma chapa de servidores aliados a administração; tanto que, hoje, essas pessoas estão todas nomeadas para cargos em comissão.
Mas isso é passado... agora, chegou a vez da Riopretoprev. Através do Projeto de Lei Complementar nº 12/12, protocolado na Câmara, o prefeito quer ter poder absoluto sobre o Conselho Municipal de Previdência.  Ele é formado por 3 membros indicados pelo prefeito e 3 eleitos pelos servidores, sendo que, hoje, para tomar qualquer decisão existe a necessidade de pelo menos quatro 4 membros presentes nas reuniões, assim nenhum dos membros, representantes dos servidores ou do prefeito, poderiam tomar decisões sozinhos. E é isso que esse Projeto de lei vem alterar, dando margem para que apenas os 3 membros indicados pelo prefeito possam tomar as decisões por todos. Além disso, condiciona a implantação das decisões a prévia aprovação do Chefe do Poder Executivo.
Ora... o caso é ridículo, além de imoral. Mas não acho que as mudanças sejam para mexer nos quase 150 milhões que a Riopretoprev administra, não... Também não acho que queiram camuflar o rombo previdenciário de cerca de meio bilhão, não... Acho que não!?


Mário José Piccarelli de Castro Servidor Público Municipal
Membro Suplente do Conselho Municipal de Previdência

Comentários

Reginaldo Maciel disse…
Renda Extra, sem comprar e nem vender nada!
ESTE É O MELHOR SISTEMA DE RENDA EXTRA DO BRASIL!
GANHOS DE R$ 150,00 Á 1.500,00 EM POUCO TEMPO
Tudo é ensinado, você tem apoio de uma empresa com mais de 13 anos de atividades e experiência; sem atrapalhar suas atividades atuais e sem ter que comprar, nem vender nada, apenas divulgar. Investindo apenas 25,00 você terá benefícios como:chip da nextel, plano de saúde, previdência privada, ganhos semanais e mensais, e muito mais...
PODE PESQUISAR BASTANTE NA INTERNET,
POIS VERÁ UMA EMPRESA SÉRIA E TRANSPARENTE.
Acesse o site e saiba mais: http://www.frpromotora.com/44627963
veja este video http://www.youtube.com/watch?v=xyWzmE1JTuY
Telefones: (21) 2179 6969 (21) 3497 3771
Av. Érico Veríssimo, 999 - 202 - RJ, 202 - Ed. Barra da TijucaRio de Janeiro - RIO DE JANEIRO - RJ - CEP: 72319017CNPJ: 02.773.549/0001-44
Reginaldo Maciel Empreendedor Web (divulgador)E-mail : reginaldomacielfr@gmail.com

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…