Pular para o conteúdo principal

EUA versão Século XXI


As famílias que moram nos túneis de Las Vegas


Por Vaas
O POVO DO TÚNEL DE LAS VEGAS
200 milhas de túneis são  o lar de dezenas de pessoas que ganham a vida no lado sombrio da cidade. Alguns, como Steven e sua namorada Kathryn, mobiliaram a sua casa com bastante cuidado – sua “casa” possui uma cama de casal, um guarda-roupa e até mesmo uma estante.
Austin HargaveAustin Hargave 
p>Residentes do túnel criaram armários para a roupa e recuperaram mobiliários para tornar o mundo subterrâneo mais caseiro. No entanto, há pouco que pode ser feito sobre a água no chão.
 Steven and Kathryn
Eles estão lá há cinco anos, criando um chuveiro com um cooler de água, pendurando roupas em fios e montando uma biblioteca de livros abandonados. Suas roupas e objetos mais importantes, no entanto, são cuidadosamente colocadas em caixas de plástico para impedir que fiquem encharcadas pela água suja do chão: “Nossa cama veio de uma calçada do lado de fora de um complexo de apartamentos”, explica Steven. “Tudo é basicamente coisas que pessoas jogam fora e nós pegamos. O lixo é um homem é o ouro do outro. “Coletamos o material tarde da noite para que as pessoas não nos vejam, porque isso é meio constrangedor.” Steven foi forçado a morar dentro dos túneis há três anos depois de sua dependência de heroína tê-lo feito perder o emprego.
Austin Hargrave flood tunnels
Mais para dentro do labirinto estão Amy e Júnior que se casaram na Capela Shalimar – um dos locais mais populares de Las Vegas – antes de voltar para os túneis para sua lua de mel. Eles perderam suas casas também pelo vicio em drogas e  após a morte de seu filho Brady com menos quatro meses de idade. “Então nós conhecemos um cara que vivia nos túneis. Nos mudamos e estamos aqui desde então.”
Las Vegas and tunnels
São pessoas normais e de todas as idadesque vivem nessas condições, muitos são os veteranos de guerra. Não se sabe quantas crianças estão vivendo lá. Dois vídeos  falam sobre este fato: http://youtu.be/1hJvC8d8Gnw e a matéria feita pela ABC NEWS —> AQUIhttp://misturaurbana.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…