Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Rio Preto agora


Muitas obras e outros tantos escândalos
Luciano Alvarenga
Circula pela internet a pergunta sobre quais seriam os fatos mais marcantes de 2011. Em relação a Rio Preto não consigo pensar em fatos, mas em processo.
Na última eleição municipal, 2008, o que emergiu foi uma eleição marcada por uma forte divisão: de um lado, uma cidade ansiosa por modernidade, por se conectar aos melhores ventos que sopraram e ainda sopram pelo país, do outro, uma cidade arraigada ao passado, marcada por um tipo de política e sociabilidade que não cabe mais nos dias atuais. Venceu a segunda.
O que vimos nos dois primeiros anos da atual administração foi uma grande dificuldade de colocar a máquina da prefeitura para funcionar e no ano de 2011 uma prefeitura a todo vapor turbinada pelos altos investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal) na cidade. Uma coisa, entretanto, permeou todos estes três anos: escândalos, suspeitas e acusações. Todas elas estampadas nos jornais.
A primeira de todas e sumamente importante, o cancelamento do contrato para recolhimento do lixo com a empresa Leão & Leão e o inicio das atividades da Constroeste no mesmo setor bem como em todos os outros. As razões do rompimento nunca foram esclarecidas. Aliás, uma marca desta administração é nunca explicar.
No ano seguinte o Ministério Público Estadual na pessoa do promotor Sérgio Clementino abre inquérito para investigar a contratação e pagamento de 101,2 mil reais dos cofres municipais ao dentista José Humberto de Aguiar Júnior, Junior Baiano. Contratação feita pela Secretaria de Saúde. Segundo reportagem do Diário da Região “Junior Baiano é réu em ação na Justiça Federal acusado de crime de improbidade administrativa por suposto envolvimento no desvio de R$ 1,7 milhão do Sistema Único da Saúde (SUS). Os desvios teriam ocorrido no período em que foi secretário da Saúde de Itaberaba, cidade de 60 mil habitantes do interior baiano, entre 2002 e 2003” (aqui). Por que uma cidade com a importância médica de Rio Preto importa um dentista da Bahia não ficou claro.
Ainda em 2010 o chamado pela imprensa de Recintogate. Trata-se do aluguel do recinto de Exposições sem contrato, sem nota, sem destino e o desaparecimento de 408 mil reais em aluguéis que não foram para os cofres públicos. O caso resultou na demissão do Secretário de Agricultura Moacyr Seródio (aqui). A demissão é ponto para o prefeito.
Em 2011 o homem mais importante da administração e braço direito do prefeito é citado em investigação de uma mega fraude no Rio Grande do Norte. Fazendo lá o que era pago para fazer aqui, licitações (aqui). Esse inventário poderia seguir com o caso das cervejas na Secretaria de Esportes, as mortes em função da dengue, a idéia mirabolante de bombear água da Andaló para a BR 153 em dias de enchente, mas isso não é necessário. O que quero dizer é que existe um modus operandi no poder político em funções de mando nas estruturas do Estado que precisa mudar.
Rio Preto esteve marcada por escândalos quase sempre na péssima e mal resolvida relação entre público e privado, ou como se apropriar do Estado privadamente. As grandes obras em andamento na cidade, resultado do PAC, por alguma razão não anima as pessoas nem as faz reconhecer positivamente a iniciativa. Por quê?
Mas admita-se que o numero de obras pela cidade chama a atenção e certamente desperta para o fato de que esta é uma prefeitura a todo vapor. Pouco se falou ou se comentou sobre as centenas de geladeiras dadas a população da cidade no fim de 2011. Por que uma empresa privada, CPFL, resolveu doar geladeiras não se sabe. Quem pagou, certamente não foi a CPFL. Para quem argumenta que geladeiras novas economizam energia eu respondo que a dita empresa quer que as pessoas consumam energia e não o contrário.
A pergunta que emerge no ar é quem ou que partido terá força, discurso e proposta para apresentar a uma cidade que assiste uma prefeitura que permeada de coisas mal explicadas e escândalos, aliás, quantas coisas mal explicadas, no entanto, transborda de obras.
Edinho e João Rillo são os nomes que se apresentam com mais força nesse cenário contra Valdomiro. O que querem, o que pensam e o que dizem sobre o prefeito do PSB e sua administração é o que desejamos saber. Quem representará o quê e o que cada um significa na próxima eleição é que é a grande e instigante pergunta. Luciano Alvarenga

Nenhum comentário: