Pular para o conteúdo principal

Do ciúme e da inveja


Quanto mais eu entendo as coisas e o mundo em que vivemos, mais cresce em mim a certeza de que não é possível no atual estado de coisas criar pessoas saudáveis, equilibradas, responsáveis, conscientes de si, com amor próprio, autoconfiança, desejo de realizar e amadurecer.
Nossa sociedade desgraçadamente cultiva o descaso, a irresponsabilidade, o desejo pelas coisas fúteis, o principio de ser feliz individualmente, o consumo como expressão de realização, o eu antes do nós, a idéia de que qualquer coisa que exija dedicação, aperfeiçoamento, tempo e paciência não vale a pena.
Uma sociedade calcada em tais valores cria pessoas imaturas, inseguras, incapazes de decidir qualquer coisa baseada em valores coletivos e públicos. O que vemos por todos os lados é todo tipo de problema como extensão desse tipo de vida.
Drogas, consumo, matança no trânsito, corrupção, falta de ética em tudo e em todo lugar, a certeza de que é cada um por si e que todo mundo se dane. O ciúme e a inveja como os dois sentimentos predominantes em nosso meio, o ressentimento pelo pouco que temos em contrapartida ao muito que julgo que outro injustamente tenha.
Por que é assim, quanto mais iguais somos na partida mais injusto consideramos o resultado na chegada. Afinal, se todos somos iguais certamente somos diferentes nos resultados que alcançamos. Aqui nasce a inveja, que não é nova, Caim e Abel nos lembram dela, mas com certeza ela não foi tão extensa e violenta em seu alcance como hoje.
E quanto mais a arte da guerra nos incita a vitória todos os dias, mais ostentamos nossos objetos de consumo e quanto mais ostentamos mais envergamos com o peso da inveja, e quanto mais inveja, mais sozinhos e mais tristes.
Nada bom pode sair de uma sociedade baseada nisso. L.A

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…