Pular para o conteúdo principal

Região Norte. Rio Preto


Região Norte: Fatos e Preconceitos
Luciano alvarenga 
A construção já em andamento do shopping Cidade Norte na Região Norte de Rio Preto vem levantado muitas discussões e debates naquela região da cidade. Qual a importância desse shopping? Por que aqui? Quais as razões reais para se construir um shopping nesta parte da cidade? Quem serão os lojistas? Quem vai trabalhar lá? Por ser na Região Norte será um shopping de segunda classe? Estas são algumas das muitas dúvidas que entremeiam as conversas na Região Norte.
Já disse em outro texto que é necessário a criação de uma subprefeitura da Região Norte dada à importância daquela área, seu peso populacional, a dimensão econômica que assumiu e certamente pela complexidade dos problemas lá vividos. Aquela região já possui quase todas as instituições bancárias da cidade. Segundo informações será aberta uma nova Faculdade naquela Região. A Fatec, Faculdade de Tecnologia no Eldorado, já está instalada e funcionando. Para arredondar basta dizer que é a área da cidade com o maior peso eleitoral em Rio Preto.
Apesar dos inúmeros projetos empresarias, comerciais e sociais em desenvolvimento naquela Região persiste uma enorme desconfiança de uma parte da população da Região Norte sobre as reais intenções da cidade ou, pelo menos daqueles que estão desenvolvendo aqueles projetos, com a Região norte e com as pessoas que lá moram. Isto é, “por que tais empresários e empreendedores estão se envolvendo com nossa região”?
Se de um lado, sempre existiu um imenso preconceito da cidade com aquela área, preconceito alimentado pelo profundo desconhecimento e ignorância a respeito das pessoas que lá moram, vivem e trabalham, por outro, parece haver agora uma firme desconfiança, da Região Norte, em relação àqueles que lá estão desenvolvendo inúmeros projetos, em que o shopping Cidade Norte é um exemplo. Depois de décadas de descaso e relação preconceituosa de uma parte da cidade com a Região Norte é natural que a desconfiança das pessoas que lá moram venha à tona.
Mas quais são os fatos realmente importantes nesse momento. O fato é que a Região Norte é a expressão em Rio Preto de um fenômeno que se desenvolveu pelo Brasil todo nesta última década. A Região Norte guarda a maior parcela de um tipo social e econômico que veio à tona como resultado das políticas econômicas e sócias do governo Lula - a classe C.
A classe C são 40 milhões de pessoas que migraram das classes D e E como resultado daqueles programas e que passaram a compor uma fatia importante de consumidores no Brasil. A classe C responde hoje, ao lado da classe média tradicional, pela maior fatia de consumidores do país. São pessoas que de forma inédita estão tendo acesso a bens de consumo duráveis como carros, eletrodomésticos, computadores, celulares e outros que faz ferver como nunca o mercado consumidor brasileiro. Famílias que estão tendo a oportunidade de acessar bens materiais e educacionais, como o ensino superior, e que antes estava vedado a elas.
Empreendimentos econômicos como o Shopping Cidade Norte naquela região é apenas a expressão da antevisão de empreendedores que perceberam lá imensas oportunidades de negócio. Imaginar que a construção daquele Shopping bem como qualquer outro empreendimento resulta do maquiavelismo dos empresários e comerciantes do centro que não desejam que os moradores da Região Norte venham aos shoppings do centro da cidade é uma lenda sem fundamento.
Todos os projetos em desenvolvimento nesse lado da cidade é expressão apenas da dinâmica econômica, do esforço reiterado, do desejo de melhorar das pessoas daquela Região. O que é importante dizer é que a Região Norte de Rio Preto já é a mais importante parte da cidade e isso vai resultar em mudanças profundas naquela Região, inclusive sociais econômicas e culturais. Mudanças que esperamos seja para melhorar a vida de quem lá mora. Luciano Alvarenga

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…