Pular para o conteúdo principal

PRP lança pré-candidato a Prefeito em Rio Preto

São José do Rio Preto, 11 de Setembro, 2011 - 3:20
Fernando Lucas dispara contra Valdomiro Lopes

Rodrigo Lima

 

Hamilton Pavam
Diretor do Ciesp, Lucas foi candidato a deputado estadual em 2010 e obteve cerca de 34 mil votos

Ex-presidente da Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb), o empresário Fernando Lucas foi lançado como pré-candidato pelo PRP à Prefeitura de Rio Preto visando as eleições de 2012. Lucas disparou críticas contra a administração do prefeito Valdomiro Lopes (PSB), acusando-o de centralizar em um pequeno grupo as principais decisões e rumos da cidade. “É uma administração como no estilo antigo, onde se fecha em copas um grupo e faz-se tudo como se fosse autosuficiente. Fui secretário e apoiei na época, mas o espaço para trabalhar com visão de futuro não existe. Não acredito mais em liderança que tem a solução para tudo e a concentração de tudo. A cidade precisa discutir. Mesmo como secretário (presidente da Emurb), não tinha espaço para impor um ritmo de desenvolvimento para a cidade”, afirmou Lucas, que foi candidato a deputado estadual no ano passado e teve cerca de 34 mil votos.

O empresário, que é diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), afirmou que o governo de Valdomiro não é bem avaliado. “Não é. Tem boa avaliação em alguns núcleos, como junto a quem recebeu uma casa. Mas, em geral, não sinto boa avaliação. Poderia estar bem melhor, já que tem conquistado algumas coisas para a cidade. Não sinto que a população está satisfeita. Eu mesmo podia estar lá (no governo)”, afirmou Lucas. Sem espaço no DEM, partido comandado pelo secretário estadual de Desenvolvimento Social, deputado federal licenciado Rodrigo Garcia, o empresário preferiu deixar a legenda. “Continuo bem com o Rodrigo. Não estou concordando com o apoio natural ao Valdomiro. Tenho ideias e propostas que teriam de estar sendo conduzidas de forma diferente do ponto de vista de gestão. Para fazer o que falo e o que penso, não tinha condições de segurar a bandeira do DEM”, afirmou.

Para ser pré-candidato a prefeito pelo PRP, Lucas não aceitou convite de Rodrigo para assumir o comando do DEM em Rio Preto. Uma das condições era apoiar a reeleição de Valdomiro no próximo ano. O deputado federal licenciado já transferiu seu domicílio eleitoral para a Capital para disputar a sucessão do ex-aliado político e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab - que recentemente fundou o PSD. “A minha ida para o PRP é muito mais pela convicção de que posso construir o que a gente acredita, sonhos, ideais e propostas com projetos claros e com metas”, disse Lucas.

Área econômica

Ligado ao setor empresarial, Lucas criticou também a política econômica de Valdomiro. “Qual é a política industrial de Rio Preto? Qual é a política de atração de investimento? Rio Preto não tem folder, portfólio para divulgar a cidade”, afirmou o pré-candidato do PRP. A ida da comitiva rio-pretense para a China, em abril do ano passado, foi considerada uma “ação isolada” por Lucas. “A Ciesp já havia ido para a China em anos anteriores”, afirmou. Em nota enviada ao Diário, Valdomiro Lopes agradece a colaboração do empresário Fernando Lucas, pelo período no qual ele foi secretário de governo, e lhe deseja boa sorte.

PRP negocia com nanicos

A estimativa do presidente do PRP, Lelé Arantes, é de que o partido tenha 34 segundos de tempo de televisão. A legenda atualmente negocia com os nanicos PRTB e PTC o apoio à pré-candidatura de Fernando Lucas.

Críticas ao parque

O pré-candidato do PRP não poupou nem mesmo o projeto de instalação do Parque Tecnológico de Rio Preto, que, segundo ele, só existe no papel. “É um loteamento. A Ciesp lutou por isso muito antes, o Mauro Mano Sanches que começou com essa história. O parque pode atrair investimentos, mas ninguém sabe o que é. Não tem laboratório e não tem nenhuma indústria instalada. Votuporanga está entrando com o pedido de Parque Tecnológico e, no ritmo que está, nem existe ainda e vai atropelar o nosso.

Estão anunciando o maior entreposto logístico para frigorífico. Rio Preto está com a faca e o queijo na mão por estar no centro da região e ter população e universidade”, disse. Para o empresário, Valdomiro erra por não “trabalhar regionalmente”. “O que está faltando é discutir com a sociedade e com entidades de classe, além de fazer uma política clara de atração de investimentos”, disse.

Rodrigo Garcia silencia

O secretário estadual de Desenvolvimento Social, deputado federal licenciado Rodrigo Garcia, preferiu o silêncio ao comentar a saída do empresário Fernando Lucas do DEM em Rio Preto. Provisoriamente, a legenda na cidade deverá ser conduzida por Rodrigo à distância em São Paulo. O Diário apurou que a legenda planeja um evento para divulgar novas filiações e lançar as pré-candidaturas a vereador visando a eleição de 2012. Rodrigo viria a Rio Preto e já traria na bagagem um nome para comandar o partido na cidade.

O empresário Fernando Lucas era uma das principais apostas do DEM para conquistar uma das cadeiras de vereador na Câmara. Integrantes do partido, no entanto, se disseram surpresos com o pedido de desfiliação apresentado por Lucas na última semana. A decisão ocorreu após conversa com Rodrigo. “A permanência no partido não seria o problema. O problema foi o apoio ao Valdomiro”, disse um membro do DEM que pediu para não ser identificado. Atualmente, a legenda participa do governo com o secretário de Agricultura, Jorge Menezes. Na Câmara, é representada por Emanuel Tauyr.

Comentários

Pastor Afonso disse…
O Fernando Lucas foi imcapaz de se eleger a Deputado Estadual mesmo sendo muito bem 'carregado' por Rodrigo Garcia em 2010,aliais uma oportunidade excepecional, que ele perdeu
.
E apesar disso, se ele quisseze poderia ser um dos vereadores mais votados de Rio Preto em 2012, pois ficou conhecido, tem um perfil jovem, simpático e que pode atrair o voto da 'mulhereda', pois infelizmente alguns votam apenas pela aparencia, 'embalagem'
.
Ma Fernando Lucas.... não pega bem, para uma pessoa que diz que entende 'tão' bem de como 'se faz' ... 'cuspir' no prato que comeu
.
Atitudes como essa, além de baixa, deselegante, revela mágoa, e principalmente inexperiencia, e diante disso...quem bom que vc não se elegeu.
.
Quem sabe vc aprende mais e num futudo próximo...
.
O interessante é que o prefeito que agora é 'vilão', foi um dia o 'herói' que lhe deu promoção e visibilidade numa Secretaria Municipal, pois até então, pelo menos para nós 'povo', quem era Ferando Lucas ? Ninguém sabia. A não ser um rapaz da 'burguesia'
.
Mas o feio será se vc usar sua 'passagem' por este mesmo governo que agora vc critica, ataca e dispara.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…