Pular para o conteúdo principal

Conheça segredos de relacionamentos duradouros entre celebridades


A correria do dia a dia, o estresse, as mudanças de interesses, muita coisa é capaz de jogar um balde de água fria nos ânimos de um relacionamento. Porém, há casais famosos que conseguem se manter firmes e fortes depois de longos anos. Eles são frequentemente questionados sobre o segredo para um relacionamento duradouro. Veja o que eles dizem:

Veja fotos dos casais

Nicette Bruno e Paulo Goulart (juntos há 57 anos) - Os atores contracenaram na peça "Senhorita Minha Mãe" em 1952 e começaram a namorar no mesmo ano. Segundo Nicete, há alguns segredos para um casamento duradouro. "Respeitar a individualidade, ter cumplicidade, estar sempre em busca do desenvolvimento a dois", disse à revista "Marie Claire". Ela acredita que, para muitas pessoas, hoje em dia a união e o amor não estão em seus projetos de vida.

Glória Menezes e Tarcísio Meira (juntos há 46 anos) - Companheiros entre quatro paredes, Glória e Tarcísio também trabalharam muitas vezes juntos. A primeira vez foi no teleteatro "Uma Pires Camargo", em 1961. Glória acredita que a distância, às vezes, é saudável. "Não é a distância que derruba um casamento. Porque, quando a gente se encontra, é um prazer enorme. A ausência estimula voltar para a cama com seu parceiro", disse ao "Jornal da Tarde".

Rita Lee e Roberto de Carvalho (juntos há 35 anos) - Os músicos Rita e Roberto formam uma das mais duradouras parcerias doméstico-profissionais. Eles tocam juntos há mais de 30 anos. "Formamos uma dupla dinâmica de verdade. Há 31 anos, trabalhamos a quatro mãos, não sabemos o quanto dele é meu e o quanto de mim é dele", disse Rita à "Rolling Stone". Em outra entrevista, à "Isto É", falou sobre a solidez do relacionamento. "Tem a ver com cumplicidade no crime, respeito pela loucura do outro, sorte, capacidade para o autodeboche, saber pedir perdão e ter admiração mútua", disse.

Fátima Bernardes e William Bonner (juntos há 21 anos) - William e Fátima foram escalados para apresentar o "Jornal da Globo" em 1989. Em fevereiro do ano seguinte, já estavam casados. A apresentadora contou à revista "Quem" que o casal mantém alguns hábitos para manter a chama da relação. “Em aniversários de casamento, passamos a noite no Copacabana Palace ou num outro hotel que seja importante para a gente e tomamos café da manhã lá", disse. O casal, que apresenta junto o "Jornal Nacional", adota a tática de sempre discutir seus desentendimentos antes de dormir.

Malu Mader e Tony Belotto (juntos há 21 anos) - A atriz Malu e o titã Tony se apaixonaram na primeira vez em que se viram, em 1989, quando ainda estavam comprometidos com outras pessoas. Mesmo assim, Malu acredita que a conquista diária seja muito importante para manter uma relação. "Achar que o parceiro está conquistado é o primeiro passo para a desgraça de um casal que deseja continuar junto", disse à revista "Claudia".

Melanie Griffith e Antonio Banderas (juntos há 15 anos) - Melanie e Antonio, que se conheceram em 1995, durante as filmagens de "Two Much", formam um dos casais mais queridos de Hollywood. Melanie tem uma grande tatuagem de coração com o nome do marido no braço. Antonio acredita que o relacionamento ficou melhor ao longo dos anos. Ele afirma que o segredo para um casamento duradouro é, simplesmente, a paixão e a capacidade de fortalecer o relacionamento em meio a dificuldades.

Comentários

Denilson disse…
Muito bom seu blog e post. Admiro esses casais que sabem conciliar os problemas da vida a dois(comuns ao casal) e com maturidade manter a relação!
Um grande abraço!
http://divaedevaneios.blogspot.com/

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…