Pular para o conteúdo principal

Sacolas plásticas


A proibição do uso das sacolas plásticas nos supermercados para embalar comprar é bonito a primeira vista, mas me parece uma idéia para inglês ver.
Todo mundo sabe que as pessoas usam as tais sacolas mais para colocar lixo do que para carregar compras.
Querem acabar com uso da sacola para que as pessoa parem de polui, no entanto, teremos que comprar sacos de lixo para o mesmo fim que antes era destinado as sacolas de supermercado.
Quem está levando a melhor nesse lance são os supermercados. Deixarão de gastar muita grana com sacolas gratuitas e ainda venderão os sacos de lixo para que nós embalemos nosso lixo antes de jogá-lo fora.
O consumidor poluidor continua na mesma, poluindo, não polui com sacolas, mas agora com sacos de lixo preto. O problema sem solução é que nos produzimos mais lixo do que aquilo que podemos, não temos mais o que fazer com ele, e ficamos discutindo sobre sacolas de supermercado.
Antes havia bolsas para carregar compras, hoje precisamos de 50 bolsas para carregar carrinhos cheios de compras. Ou seja consumimos muito mais do que nossos avós.
Esta é uma das muitas e insolúveis contradições de nossa vida moderna, confortável e poluidora. Agora com a chegada da nova classe C todo mundo esta contente pór que está comendo iogurte e comprando e televisão, o lado que ninguém gosta de lembrar é o que cenário ambiental só piora com tudo isso.
Nossa sociedade é insustentável nesse modelo baseado em consumo na maioria das vezes de bem supérfluos e que não precisamos e nunca precisaremos. Pense nestes milhões de carros andando pelas ruas, todos máquinas de poluir, com suas latarias, pneus, baterias, vidros, ferro e tudo o que lhe acompanha, vai tudo para o lixo em duas décadas. Não é sustentável.
Sacolas são apenas uma parte insignificante do problemas e quem levou a melhor nessa foram os supermercados que depois de décadas nos fornecendo gratuitamente as sacolas, agora nos venderão.
Por que os supermercados não embalam nossas compras com sacolas de papel reciclável eles não disseram.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…