Pular para o conteúdo principal

Kit anti homofóbico

Ralffer Barbosa deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Kit Gay":

Sou completamente contra a distribuição de qualquer kit que promova a homossexualidade. Na verdade, sou também contrário a qualquer divulgação oficial que envolva um assunto TÃO POLÊMICO, sem a participação dos pais, que deveriam ser os primeiros ouvidos nessa história!

Sinceramente, gostaria de saber se algum pai ficou sabendo que isso iria acontecer/foi consultado e, se ficou, se concordou com tudo o que seria divulgado através do famigerado KIT-GAY.

No meu caso, jamais permitiria que um filho meu assistisse a um vídeo que promovesse, tratasse como bom ou normal um comportamento como a prática homossexual.

Considero o homossexualismo um grave erro, que trará (como já vem trazendo) consequências mais graves ainda para a sociedade, se não for devidamente tratado.

Que fique claro que não sou contrário aos HOMOSSEXUAIS, mas NÃO CONCORDO COM O QUE ELES FAZEM, ou seja, fazem com pessoas do mesmo sexo aquilo que pessoas de sexos opostos fazem também.

Tenho amigos gays, excelentes pessoas por sinal, dignas de total respeito e consideração, profissionais exemplares e de conduta e caráter irrepreensíveis. Porém, quando o assunto é relacionamento homossexual (não falo somente de sexo), não aprovo o que fazem e PONTO!

Torço para que as autoridades façam sua parte, ouçam os anseios populares (afinal, todo o poder emana de quem mesmo?) e acabem de uma vez por todas com qualquer tentativa de se propagar/promover/incentivar/ensinar/difundir/recomendar a homossexualidade como opção ou possibilidade completamente normais.

Comentários

;) disse…
Olá, muito obrigado por ter dado uma olhadinha no meu blog, porém ainda não li Feios, já estou com ele em mãos mais pretendo terminar Interligados.
Beijos!

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…