Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Das consequências da modernidade, o Kit Gay


As demandas do movimento GLBT agora em torno do Kit anti homofóbico expressa um movimento muito maior das sociedades contemporâneas ocidentais.
À medida que a sociedade cresce, se urbaniza, ela ao mesmo tempo fica mais fragmentada, mais individualista e, portanto, mais egoísta, e também muito mais heterogenia, isto é, formada sempre por mais pessoas diferentes e com estilos e maneira de viver pouco comuns.
A força de uma sociedade está na sua coesão, em sua homogeneidade. Quanto mais as pessoas forem iguais, isto é, partilhem os mesmos hábitos, as mesmas crenças, os mesmos costumes, mais forte é esta sociedade na sua relação com outros povos.
O que está acontecendo no ocidente, e no Brasil mais recentemente é que o desenvolvimento urbano e das tecnologias da informação desmancharam a unidade social e sua coesão em nome de ma variedade de comportamentos, idéias, e expressões culturais que hoje praticamente toma conta de tudo.
Todo mundo se vangloria de fazer o que bem entende e mais ainda afirmar que cada um deve cuidar de si e fazer o que quiser e que ninguém tem nada com isso. Tudo isso é bonito no discurso e faz parecer aberto e liberal quem faz tais discursos. Mas a conseqüência disso é na verdade uma sociedade que é obrigada a cada vez mais atender as demandas destas novas minorias que estão sempre exigindo seus direitos e que sejam conformados no tecido social da sociedade.
Os grupos GLBT são apenas uma expressão disso. Querem ter o direito de viver e serem aceitos sem preconceitos, assim como os casais hetero exigiram o divórcio como um direito a 40 anos atrás. A conseqüência mais evidente do divórcio, ainda que ninguém queira extinguir esta lei, foi o enfraquecimento da família. Em nome de um direito individual, o desejo de separar-se, comprometeu-se um direito coletivo, o direito de um filho ter uma família estável.
Essa é a tendência da sociedade moderna, crescer e incorporar novas minorias reivindicantes de novos direitos que devem ser aceitos por todos os outros.
Tendo em vista a realidade atual não me estranhará se algum grupo começar a defender que pornografia é alta cultura e que deve ser ensinada nas escolas para que as crianças e jovens conheçam seus corpos e suas possibilidades
Tendo em vista a realidade das assim chamadas famílias atuais, não me estranhará se daqui a alguns anos aparecer um grupo dizendo que o amor incestuoso não é nenhum crime e que é preconceituoso quem não aceitá-lo.

Nenhum comentário: