Pular para o conteúdo principal

Cemitério de animais de estimação


Enviado por Eder  
O cemitério Jardim
do Amigo






A morte infelizmente é implacável, atinge a todos. A vida dos bichos de estimação é menos longa do que a nossa. Tem raras exceções como, por exemplo, a tartaruga, que pode viver muitos anos. Essas fatalidades acontecem e nos apanham de supresa, e não sabemos como agir. Em Itapevi, perto de São Paulo, existe um lugar especial onde é possível dar depois da morte, a mesma dignidade oferecida ao bichinho de estimação enquanto vivo, com direito a velório, benção, flores, velas e todo um ritual de acordo com a crença e religião de cada dono. A idealização de um cemitério para animais domésticos foi da italiana Adriana Sandonati que reside em Buenos Aires, onde também mantém um outro cemitério de animais. O cemitério Jardim do Amigo abrange uma área de 17 mil m², segundo a administradora Rosângela Maria Fernandes e com aproximadamente mil e oitocentos animais entre cães, gatos, passarinhos e outros.







AU! Como funciona o cemitério? 
Rosângela: O cemitério é dividido em setores. Há um Setor individual para mascotes (cachorros pequeninos) com lápide de identificação, um setor comunitário que é econômico, não tem identificação e também não tem taxa de manutenção. As pessoas podem visitar sempre que quiserem, nos finais de semana e feriados. O cemitério possui sala de velório, onde as famílias ficam em média 30 minutos com o bichinho antes de enterrar, esse tempo varia de acordo com a necessidade de cada família. 

AU! O cemitério é para todos os tipos de animais? 
Rosângela: Apenas animais domésticos. Cavalos não enterramos! 

Au! Como funciona o serviço de ambulância? 

Rosângela: A maioria dos clientes residem em São Paulo. As famílias entram em contato por telefone e enviamos uma ambulância para fazer a remoção. Muitas vezes, as famílias não querem acompanhar o animal no dia, então trazemos o animal para o cemitério e fazemos o enterro, a família vem outro dia, normalmente no próximo final de semana. Podem acontecer casos da família acompanhar a ambulância ou mesmo trazer no próprio carro , é tudo muito imprevisível... mas de qualquer forma estamos preparados para atender a qualquer necessidade do cliente. 

Rosângela Maria Fernandes com a mascote do cemitério




AU! Esse serviço de ambulância é só para a cidade de São Paulo ou atinge outras cidades? 
Rosângela: São Paulo e litoral. Temos também o contrato por antecedência, em que as pessoas reservam o local quando o animal ainda está saudável. É cobrado mensalmente uma pequena parcela, até quitar o carnê. Mesmo que o animal venha a falecer cinco ou mais anos depois, o local fica reservado, bastando por exemplo, um dos empregados ou mesmo o dono ligar para irmos buscar o animal e fazer o sepultamento. Isso é importante, porque pode acontecer do animal morrer na ausência do dono e não ter ninguém em casa para tomar providências. 

No quadro, mensagens e dedicatória para os animais queridos




Au! Como é o enterro dos animais? Existe um caixão? 
Rosângela:: Não, não tem caixão. A cova é forrada com plástico e o animal é coberto com um lenço branco. Em qualquer um dos setores, mesmo no setor de luxo, o tratamento é o mesmo.Temos um projeto para construir um crematório, em breve. O crematório será individual e a família poderá levar as cinzas. Junto ao crematório haverá uma capela.

"Gostava muito do meu cachorro e escolhi enterrá-lo aqui porque queria o melhor para ele. Não iria jogá-lo na lata de lixo!"
Renata Prescendo Nawoe




AU! Além do crematório vocês estão com outros planos? 
Rosângela: Estamos pensando em montar um grupo de terapia para auxiliar as pessoas nestes momentos difíceis. Uma reunião em grupo seria muito interessante.

Au! As visitas dos familiares são periódicas? 
Rosângela: Algumas famílias estão aqui todos os finais de semana, sem faltar um sequer. Conforme a religião, os familiares trazem a comida que o animal gostava, incenso, velas, flores e no natal trazem pernil, uvas, panetone. Na páscoa trazem chocolate, ovo de páscoa. 

mais informações


www.ederedinho.blogspot.com




Comentários

MESTRE MUKA disse…
"I don't want to be buried in a Pet Cemetery" - Ramones.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…