Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Sutiã com enchimento para ela



Há uma grande confusão na cabeça das pessoas hoje em dia e uma incapacidade cada vez maior de decidir sobre o que seja certo e bom e o que é errado.
Por exemplo, é bom que sua filha de 6 anos use sutiã, não. Sutiã com enchimento para que ela parece ter seios que na verdade não tem, menos ainda.
É correto que os garotos passem horas a fio jogando na internet e torrando sua infância em jogos eletrônicos, não.
É normal e sadio que os pais estimulem nos filhos um comportamento consumidor dando a eles a oportunidade de reproduzirem em família os comportamentos e atitudes ensinados pela propaganda para as crianças enquanto elas assistem TV. Não.
Você tem um filho em casa, ou um consumidor infantil. Por que a indústria e o mercado publicitário está investindo cada vez mais em propaganda para criança? Por que agora existe miss infantil, por que agora as garotas mais brincam de maquiagem e se maquiam, e até já existe salão de beleza para crianças?
Tenho a impressão que os adultos não estão sabendo lidar, e não é fácil mesmo, com esta situação. A infância está acabando e as crianças cada vez mais se comportam como consumidores e fazem um discurso mais e mais parecido com o de adultos jovens.
A sociedade perdeu as referências sobre o que seja certo, não sabe mais que tipo de valor defender, é pressionada por um discurso relativista que prega liberdade que mais parece ausência de valores, sente-se acuada em defender-se de tais discursos por tais discursos quase sempre vem chancelados pela mídia e pela publicidade.
Isto é, valores, moral social e ética está fora de moda, é atrasado, conservador e não serve para os novos tempos. Assentados numa moral de consumidor infantil somos levados quase por inércia a acreditar que e o melhor é sempre o fácil, o simples, e o rápido.
Fatos como o massacre do Realengo foi logo explicado pela presumida loucura do rapaz. Isso é o fácil, o simples é o mais rápido como resposta.
Enquanto isso não sabemos o que fazer como nossas crianças que ficam adultas na nossa frente antes de completarem dez anos, e com quem mais aprendemos do que ensinamos. O que aprendemos com elas não sabemos, o que poderíamos ensinar tão pouco alguém consegue dizer.
Ou seja, graças ao mercado que existe a publicidade para ensiná-las a serem consumidoras, por que nós quase nada temos a dizer.

Nenhum comentário: