Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

domingo, 3 de abril de 2011

Pernambucanas e trabalho escravo



Comentários da Revista Época

Eric Sohn | SC / Itajaí | 03/04/2011 10:09
RES: ESCRAVIDÃO E MISÉRIA
Sobre o comentário da SONIA MARTINEZ: O senhorio verdadeiro são as redes de magazines que obrigam as pequenas confecções entrarem num leilão para baixo de preços aviltantes. Já fui confeccionista e para não me submeter a essas humilhações que se quiser continuar no mercado, tinha que repassar a tal humilhacão para proxima cadeia produtiva abaixo (oficina de costura). As confecções coreanas que são em números significativos, não são os criadores desse sistema escravista mas são tão vítima quanto os bolivianos e ministério de trabalho sabiamente já percebeu e então multou em maior valor, como da reportagem, a origem dessa cadeia produtiva amoral que em nome da livre concorrência produz esse leilão desumana. Tanto que todas essas magazines, Pernambucanas, Marisas, e tantos outros numa época tinham suas produções próprias e que hoje desativaram todos. Se esse negócio fosse bom eles mesmo contratariam seus bolivianos. Mais uma vez, posso afirmar que os coreanos são muito trabalhadores e alguns que são minoria entre varios confeccionistas de altissima qualidade (certamente a Sonia Martinez deve ter várias peças no seu vestuário dessas fábricas), que se submetem a fornecer para magazines vivem numa situação financeira difícil e cedo ou tarde encerram suas atividades.
Sonia Martinez | SP / São Paulo | 03/04/2011 07:45


ESCRAVIDÃO E MISÉRIA
Os bolivianos são escravizados de maneira absurda, respondem à senhorios coreanos que até colocam cães que os impedem de sair de casa, temos que ter um novo olhar, pois são em grande numero da nossa cidade. Pelas péssimas condições de moradia e alimentação, são responsaveis pelo aumento significativo de casos de TUBERCULOSE em São Paulo: todos os meios de comunicação deveriam atentar para esse dado e fazer com que a Secretarias de Ação Social tomassem reais providencias quanto à esse povo trabalhador. Por outro lado, são ótimos alunos das escolas públicas de SP, respeitam muito os professores devido ao fato de que na Bolívia os professores exercem papel conciliador de advogados, juizes, etc. A taxa de alunos descendentes ou bolivianos de origem que se envolvem com alcool ou drogas é baixíssima, sabiam? Não devemos tem preconceitos, pois somos um país que sempre abrigou imigrantes e raros são os que não têm essa característica. Vamos respeitar os trabalhadores bolivianos!
carmem | SP / Ribeirão Preto | 02/04/2011 21:22


trabalho escravo
Estes gdes magazines, quando contatam as oficinas de costuras ou pequenas confecções, exigem tudo e já dão o valor que pagarão por peça.Digo por experiência,pois estou no ramo. Êles conseguem trabalhar,vender, uma peça, por um preço baixo, pois já exploram quem presta serviço a êles.O resto é consequencia.Será que nenhum economista do governo consegue fazer o custo de uma roupa, para ver que tem alguma coisa errada?Por que tem peças que custam 10,00 em uma loja e 40,00 em outra?Quanto vcs acham que se paga por uma peça que é vendida a 1,99? Só não vê quem quer ser cego.

Nenhum comentário: