Pular para o conteúdo principal

Páscoa não é ovo de chocolate

Por Gilbean Ferraz
O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PASCOA!
Quando entrei no mercado próximo ao setor de frios, congelados, iogurtes
e seus derivados, me deparei com aqueles ovos de chocolates e fiquei
impressionado por duas coisas que tomo a liberdade de comentar a você.
Primeiro aquela cena maravilhosa, todos os tipos possíveis de chocolate de dar
água em qualquer boca. E em segundo lugar, como novamente já estamos às
vésperas de mais uma páscoa.
Sabe, não tenho a intenção de falar sobre religião, pois cada um tem a
sua, é algo pessoal, que não me cabe apontar quem está certo ou errado nesta
reflexão. Ao ver aquele mundo maravilhoso à base de cacau e outras
guloseimas que atiçam não apenas o paladar, mas também o olhar surge um
sentimento em meu coração, alegria. Na realidade esta palavra é a mais
apropriada para refletir meu raciocínio tupiniquim: Devido à celebração da
páscoa muito provavelmente centenas e milhares de pessoas conseguiram seu
primeiro emprego na cadeia produtiva do ovo de chocolate. Conseqüentemente
girando a roda da economia, empresas possivelmente faturando e a felicidade
chegando para quem produz, vende e consome.
Mas será que a páscoa é apenas essa maravilhosa idéia de presentear as
pessoas com um delicioso ovo de chocolate? Para responder é preciso
relembrar a todos que tradicionalmente a Páscoa é uma celebração judaicocristã.
Nesse sentido, penso que não se limita a lindos e deliciosos ovos de
chocolate.
Se perguntássemos para um judeu o real sentido dessa data tão
importante ao calendário ocidental teríamos a seguinte resposta para a
pergunta que acabei de fazer. Provavelmente sua resposta seria que a páscoa
é o ato de rememorar uma celebração muito antiga, que visava preservar a
experiência humana de um povo chamado Israel com o seu Deus, na saída do
Egito bíblico até uma nova terra que se chamava Canaã. Nesse processo de
libertação, os hebreus sacrificaram um cordeiro e borrifaram sangue nos
umbrais das portas de suas casas e incrivelmente os primogênitos desse povo
foi poupado por Deus da morte que assolou as famílias egípcias. Após todo o
processo de saída do Egito, travessia do famoso mar Vermelho, todos os anos
os israelenses celebravam a páscoa, uma refeição a base de carneiro assado,
2
com pães asmos (sem fermento) e ervas amargas. Tudo isso para se
rememorar um livramento.
Se conversássemos com um cristão católico, ortodoxo, protestante ou
pentecostal, descobriríamos que a páscoa é a celebração da morte e
ressurreição de Jesus Cristo. De acordo com os relatos dos quatro evangelhos
do Novo Testamento, da Bíblia Sagrada, Jesus morreu na cruz para redimir a
humanidade e possibilitar a elas um relacionamento sincero e verdadeiro com
Deus. Talvez seja por isso que Jesus Cristo nos ensinou a orar: Pai nosso que
estás nos céus.
Antes de se sacrificar por seus seguidores Jesus celebra uma ceia, nos
dias da páscoa judaica explicada anteriormente, em que ele agradece a Deus e
parte um pão e entrega juntamente com um cálice de vinho a cada um de seus
apóstolos com o desejo que eles recebessem como símbolo do seu grande
sacrifício. O pão simbolizando seu corpo e o cálice seu sangue. Por isso, para
o cristão a páscoa é sacrifício e tempo de celebrar a vida, o amor, a paz e a
ressurreição.
A minha intenção em relembrar essas informações que é de
conhecimento de muitos, mas de esquecimento da maioria é atentar que
estamos chegando a mais um feriado de páscoa. E dai? Pode ser seu
questionamento.
O que temos que nos conscientizar como sociedade é que mais do que
nunca as pessoas estão vivendo sozinhas, mais do que nunca a família está
fragilizada, pessoas sofrendo violência doméstica, sendo consumidas pela
dependência química, graves quadros de depressões e tudo isso tendo como
pano de fundo, de forma geral, a maldade humana. Precisamos a exemplo de
Cristo fazer algo, nos doarmos, nos sacrificarmos em favor da vida.
Ou você já se esqueceu do mais recente símbolo desse cenário que
acabei de descrever, que foi o massacre de Realengo, no mês de abril, no Rio
de Janeiro? Quando alguém com sérios problemas de ordem psíquica e
banhado pelo poder destruidor da religião, digo isso não por causa de uma
determinada religião, mas sim pelo recado final deixado pelo inescrupuloso
assassino e suicida, Após assassinar cerca de 12 crianças, além das que
ficaram feridas fisicamente e emocionalmente.
3
Amigo e amiga leitores, a páscoa é uma oportunidade de renovarmos ou
ressuscitarmos muitas coisas boas que podem combater de alguma maneira
essas e outras mazelas humanas. Fica o desafio para você, de além de
presentear alguém com um saboroso ovo de chocolate, também passar adiante
a mensagem, de que na realidade páscoa nada tem a ver com coelho, mas sim
com livramento, sacrifício, morte e vida eterna.
Se observarmos bem as encenações da paixão de Cristo que assistimos
todos os anos em filmes, teatros, paróquias e templos evangélicos,
concluiremos que a páscoa é a celebração da vitória da vida contra a morte, a
subjugação, a humilhação, a violência, a maldade, a desigualdade, a
religiosidade e a corrupção. Pelo fato dela possuir esse significado tão especial
posso afirmar que páscoa é um novo tempo para você e sua família.
Feliz páscoa! Segunda-feira nos encontramos nas pistas de caminhada da
vida para queimarmos as calorias dos ovos de chocolate.
Com carinho, Gilbean Ferraz

Pastor Presbiteriano (gilbeanferraz@hotmail.com)
Presidente do Presbitério Rio Preto
da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil exercício 2011
Vice-Presidente do Conselho de Pastores
de São José do Rio Preto exercício 2010-2011.

Comentários

Dayane disse…
Suas palavras são abençoadas, a pascoa realmente é isso, o livramento , o sacrificio de Jesus, e graças a DEUS por ternos mandado o seu unico filho para termos direito a vida eterna mesmo sendo pecadores,...são poucos os que entendem realmente o significado da pascoa, mas temos que dar glorias à DEUS por nos ter dado a oportunidade de dicernir que pascoa não é ovo de chocolate e muito menos coelhinho e sim a vitoria contra a morte eterna.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…