Pular para o conteúdo principal

A estupidez transformada em inteligência





Os jovens bebem e se drogam cada vez mais, os adultos se endividam e tomam remédios sempre que podem, os velhos estão arrependidos da vida que levaram, as crianças acham que não são crianças e os adolescentes não querem sair da adolescência nunca mais.
Toda esta confusão certamente é reflexo de uma sociedade norteada pelo discurso publicitário e pelas condicionantes de uma época que dissolveu todos os valores, retirou a autoridade de quem às possuía, relativizou o conhecimento popular transformando séculos de sabedoria das pessoas em costumes tolos, atrasados e que nada serve atualmente.
É por isso que páscoa virou comer chocolate e não tempo de renascimento, de vida renovada na esperança dos valores que outrora norteavam a vida em comunidade.
O que vemos hoje?, pessoas que não tem certeza nem sobre se é bom deixar os filhos transarem em casa. Não sabem se é bom ou não que sua filha de 6 anos use sutiã. Perdidos, sem certeza sobre coisa alguma, muita gente não consegue nem avaliar se o próprio casamento é bom ou ruim. Mas afirmam rapidamente que o passado era uma droga.
Não é de estranhar dado que bom é tudo o que é novo, sendo tudo o que dura, rotineiro. Rotina segundo o sábio conhecimento atual é falta de criatividade. Quando a rotina se instala muita gente começa a se coçar dado ao que se imagina seja o fim do relacionamento. Confundindo assim amor, com entretenimento.
Numa sociedade que não consegue nem ao menos capacitar sua própria gente para viver bem, e viver bem significa escolher sem ter que consultar o Google, não podemos nos admirar com o que estamos vendo e vivendo.
Todo mundo acha, ou pelos menos os que se encantam com facilidade, que estamos vivendo a aurora de um tempo maravilhoso, e que o passado foi um tempo de miséria, opressão, preconceito e desgraça. O passado era tão horroroso e o presente tão fantástico que não conseguimos ser felizes nem com nossos próprios corpos.
É fácil achar que nossos avós são uns coitados por não estarem aproveitando as maravilhas da sociedade do consumo que ora vivenciamos, e mais fácil ainda jogar sua sabedoria no lixo uma vez que não há lugar para ela nos desvarios divertidos  da nossa cabeça. Mas é bom não esquecermos que este pessoal chegou inteiro e são à velhice, o que não parece será muito fácil para as atuais gerações. É claro que estou me referindo aos velhos que entendem o que é ser velho, e não aos idosos que querem voltar a juventude.
Se drogar seja para divertimento, ou para agüentar o tranco diário tem mais a ver com fuga e falta de perspectiva de vida, do que ser liberal de mente aberta.

Comentários

dan disse…
Falta à sociedade coragem de enfrentar o que ai está e por ela criado. A burguesia fede como dizia Cazuza - Juntamente com Gabriel eram os corajosos de nosso não longíquo passado.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…