Pular para o conteúdo principal

SEMANA DAS ÁGUAS - NASCENTES DO PARAÍBA

    Comemorando 10 anos de atuação    
      Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul

SEMANA DAS ÁGUAS - NASCENTES DO PARAÍBA
21 a 25 de março de 2011.


Dia 21 de março, Zé do Paraíba inicia mais uma Expedição Ambiental "Nascentes do Paraíba". Na Semana das Águas o personagem passará em alguns dos municípios apoiadores dos projetos e programas do Movimento Nascentes do Paraíba, para participar das atividades locais e comemorar os 10 anos de atuação nas Bacias Hidrográficas do rio Paraíba do Sul. Participe:


PROGRAMAÇÃO:

Dia 21/03 - Dia Florestal Mundial - Inicio do Outono.
      09h00 - Concentração na escola Guilherme Henrique de Oliveira - Arapeí / SP.
                     Abertura do Programa Ambiental Interativo - PAI - 2011.

Dia 22/03 - Dia Mundial da Água
       09h00 - Concentração no Porto Itaguaçu e navegação no Paraíba - Aparecida / SP
                     Abertura do PAI - 2011 e Projeto "Educação Flutuante".

Dia 23/03 - Dia do Encontro das Águas Nascentes do Paraíba.
       09h00 - Concentração no encontro do rio Paraibuna com o Rio Paraitinga - Paraibuna / SP.
                      Proposta de criação de Área de Vivencia Ambiental - AVE PARAÍBA.

Dia 24/03
       09h00 - Concentração na Escola Profª Maria Olímpia Vieira - Jambeiro / SP.
                      Abertura do PAI - Programa Ambiental Interativo no Município.

Dia 25/03
       09h00 - Concentração na Escola Profª Luiza Chagas - Instituto Chico Mendes - Lorena / SP.
                      Abertura do PAI - Programa Ambiental Interativo no Município.

No dia 23 de março a expedição passará pelo Encontro das Águas Nascentes do Paraíba, em Paraibuna; dia 23 de junho passará pela Nascente do rio Paraibuna, em Cunha e dia 23 de setembro chegará à nascente do rio Paraitinga / Paraíba, em Areias.

Durante o ano serão realizadas várias atividades em parceria com outros municípios.




"Há os que gostariam de fazer, mas, não podem;
Os que poderiam, mas, não querem e;
Os que gostam, querem e podem, porque se unem para fazer juntos”
Movimento de Cidadania Pela Recuperação e Preservação
das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul - Nascentes do Paraíba.

AGENDA - Próximo Diálogo Técnico Ambiental:
07 de novembro de 2007, das 08h30 as 16h30, na CESP /

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…