Pular para o conteúdo principal

Resposta da Diretoria de Esportes de Paraibuna ao Texto: "Laurinho do Esportinho"

Laurinho do Esportinho
Paraibuna

Nos próximos anos o Brasil será destaque mundial seja pela copa do mundo que ocorrerá em 2014, como pelas Olimpíadas, o maior evento esportivo do mundo que terá como sede a cidade do Rio de Janeiro em 2016.
No mundo todo há o consenso de que Educação e Esporte são basilares na formação para a cidadania de jovens e crianças. No entanto, o Brasil vive hoje uma epidemia de uso de crack e em Paraibana basta andar pelas ruas durante a noite, especialmente na Avenida Beira Rio, para ver o cenário de horror que muitos jovens da cidade vêm vivendo. Jovens talentosos, cheios de vida, pessoas de bem e que se entregam ao uso das drogas, quase sempre o crack.
Se o esporte é um contraponto fundamental a apatia, ao uso de entorpecentes e a falta de perspectivas, por que a Diretoria de Esportes de Paraibuna é inoperante, desorganizada, sem planejamento e não vem recebendo do Prefeito Barros, tão bem avaliado pela população, a atenção e a importância que esta diretoria precisa ter. Paraibuna, que já teve um time de basquete feminino vice campeão Estadual, importantes campeonatos de futebol de salão e de campo, inclusive empolgantes campeonatos de futebol de campo rural, hoje vive “sem” esportes. Esporte no âmbito municipal deve ser sempre um veiculo de construção de cidadania. Por que não está sendo?
As reclamações em Paraibuna em relação ao Esporte vão desde a falta de jogos de camisas para o futebol feminino, passando pela não inscrição do futebol feminino nos jogos Regionais, suspeitas de favorecimentos a times e pessoas, demora nas decisões e excessiva radicalidade nas punições de jogadores, campeonatos desorganizados, até a falta de um projeto municipal de esportes que redunde na diminuição do uso de drogas pelos jovens da cidade. O caso do jogo Vila de Fátima e Vasco no mês de novembro de 2010 relativo ao campeonato de Futsal municipal diz muito da situação do Esporte na cidade. A desorganização é tanta que os times apareceram em horários diferentes para o jogo.  Destaques-se que a iniciativa da Diretoria de Esportes em relação à Terceira Idade tem sido elogiada pelo ótimo desempenho, graças a dedicação da profissional Cristiane, mas infelizmente o bom êxito tem se dado apenas aqui.
O consumo de cachaça em Paraibuna sempre foi alto e responde pelos incontáveis casos de alcoólatras dentro das famílias, mas agora estas e novas famílias têm vivido o pesadelo do crack e, isso não é por outra razão senão e, também, pelo profundo descaso em que se encontra o setor de esportes na cidade. Paraibuna está com os cofres cheios, ainda bem e graças à fortuna, mas parte deste dinheiro precisa ser investido no futuro de crianças e jovens da cidade, e isso significa uma Diretoria de Esportes forte, atuante e comprometida com um projeto de cidadania de longo prazo, mas sobretudo, envolvida com a Diretoria de Educação e Cultura via Fundação Cultural para a construção de uma realidade outra para as crianças e jovens do município. Quando se trata do futuro é fundamental seriedade, mas quando o que está em jogo é o presente de crianças e jovens é crucial responsabilidade.
Em resumo, o Esporte em Paraibana pede socorro.
Luciano Alvarenga, Sociólogo

Esporte em Ação 2010 - Paraibuna





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…