Pular para o conteúdo principal

FHC estrela programa do PSDB

FHC estrela programa do PSDB

Da Folha
FERNANDO DE BARROS E SILVA
SÃO PAULO - O PSDB exibe amanhã à noite um programa de dez minutos em cadeia nacional de rádio e TV. Não parece que seja o melhor momento para falar ao país.

O partido exibe sinais de fadiga de material: 1) Vem da terceira derrota consecutiva à Presidência; 2) tem dificuldade de formular um discurso alternativo ao do PT; 3) vive hoje uma guerra interna pelo seu comando; 4) não tem um líder óbvio a quem confiar seu futuro (Aécio, quem sabe); 5) e deixou mal resolvida sua relação com o legado de FHC, escanteado por Serra. Desse limão, como fazer uma limonada?

Sem disputa eleitoral à vista, o partido decidiu transformar FHC no grande personagem do programa.
Durante cinco minutos, ele responde a perguntas variadas de um auditório composto por 120 jovens.

FHC comemora a presença de duas mulheres na eleição presidencial. Critica a tolerância de Lula com a corrupção e a voracidade com que aderiu à política fisiológica (que ele também admite ter praticado, com mais pudor). Mas elogia a mobilidade social e as oportunidades criadas na gestão petista.

Na metade convencional do programa, Geraldo Alckmin fala em nome dos oito governadores tucanos e Sérgio Guerra faz uma breve menção elogiosa (ou protocolar) ao desempenho de Serra na eleição.

O que fica do conjunto, no entanto, é um grande desagravo a FHC. Lembra algo de uma sessão de psicanálise, na qual o partido procura trazer à tona seus traumas e olhar de frente a sua história. Mas o programa também pode ser visto -para seguir com Freud- como um sintoma do que permanece recalcado entre os tucanos. Serra e Aécio só aparecem em imagens de arquivo...

Durante a gravação, FHC foi questionado por uma garota sobre Chico Buarque, principal apoio de Dilma entre os artistas. Elogiou o compositor e disse que sua canção predileta é "Apesar de Você". A cena não vai ao ar e só estará disponível no site do PSDB. Quem, entre os tucanos, vai vestir a carapuça?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…