Pular para o conteúdo principal

Putzz...

Enviado por Leandra Alvarenga
 
MEC reprova 36 dos 99 cursos das faculdades do Vale do Paraíba Paulista

 
Avaliação pode orientar alunos na hora de fazer a escolha da faculdade
Carolina Teodora
São José dos Campos


Avaliação preliminar do MEC (Ministério da Educação) faz um alerta aos futuros universitários: 36 dos 99 cursos de graduação oferecidos na região são considerados péssimos.

O grupo de cursos com ‘sinal vermelho’ atendem 10.124 alunos e obtiveram nota 1 no CPC (Conceito Preliminar de Curso), que vai até 5. Os dados relativos a 2009 foram divulgados na última semana pelo ministério.


Na lista, está o curso de Medicina da Unitau (Universidade de Taubaté) --único oferecido na região-- e o de Design da Univap (Universidade do Vale do Paraíba), em São José.


Um total de 12 faculdades particulares de seis principais cidades do Vale --São José, Taubaté, Jacareí, Caraguá, Guará, e Lorena -- apresentam problemas em determinados cursos. O MEC informou que o conceito é uma ferramenta de aferição do ensino para os estudantes utilizarem antes da escolha da universidade.
Para definir o CPC, é utilizado informações relativas a infraestrutura e instalações físicas da instituição, recursos didático-pedagógicos e corpo docente. Também é considerado o desempenho dos estudantes no Enade.


Avaliação. Para o professor Dermeval Saviani, especialista em educação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), é preciso que haja uma reviravolta no sistema de ensino.


“As faculdades privadas aumentaram muito e hoje são a única possibilidade da maioria da população ingressar no ensino superior. Só que para preencher todas as vagas, elas cobram cada vez menos o que reflete de forma direta na qualidade do ensino”, afirmou o especialista.

José Roberto Covac, diretor-jurídico do Semesp, sindicato das faculdades particulares no Estado. Segundo ele, o conceito não representa a realidade.
“Esse conceito é preliminar, como o próprio nome diz, e depende do resultado do aluno, que pode boicotar os dados”, afirmou.

Outro lado. A Univap informou que no IGC (Índice Geral de Cursos) obteve desempenho 3, na avaliação que também segue até 5. De acordo com a Univap, esta nota é considerada ‘razoável’.


A Unitau (Universidade de Taubaté) informou que vai analisar o resultado do CPC.
“Os resultados estão sendo analisados pela pró-reitoria de graduação, juntamente com os coordenadores pedagógicos, no intuito de estabelecer ações que auxiliem no constante aprimoramento dos cursos’.


A Unip (Universidade Paulista) que teve 11 cursos reprovados -o maior número se comparado com outras faculdade do Vale-- não comentou.
A Anhanguera informou que já está promovendo melhorias nos cursos e que ‘não poupará esforços para cumprir as exigências do MEC’. Segundo a faculdade, todos os cursos estão dentro do padrão.


A Fatea (Faculdades Integradas Teresa D´Avila) informou que em nova avaliação feita ano passado a nota dos três cursos citados na reportagem aumentaram. A faculdade teve nota 4 no Conceito Institucional do MEC.

CURSOS CONSIDERADOS PÉSSIMOS


São José
Univap (Universidade do Vale do Paraíba) - Design
Unip (Universidade Paulista: Nutrição, Engenharia, Tecnologia em Automação, Farmácia, Enfermagem, Computação e Informática, Psicologia, Tecnologia em Redes de Computação e Tecnologia em Gestão Financeira
Faculdade Anhanguera - Tecnologia em Marketing e Tecnologia em Gestão de Recursos
Faculdade Faetec (Faculdade de Educação Thereza Porto Marques) - Pedagogia e Tecnologia em Redes
Faculdade Inesp - Administração

Taubaté
Unitau (Universidade de Taubaté) - Direito, Psicologia, Tecnologia em Gestão de Recursos e Medicina
Faculdade Anhanguera - Tecnologia em Gestão de Recursos e Administração


Jacareí
Faetec (Faculdade de Tecnologia Thereza Porto Marques) - Tecnologia em Redes de Computação e Pedagogia
Faculdade Inesp- Administração


Caraguatatuba
Módulo (Centro Universitário Módulo) - Biologia, Direito e Administração

Lorena
Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo) --Computação e Matemática
Fatea (Faculdades Integradas Teresa D´Avila) Pedagogia, e Enfermagem e Biologia


Guaratinguetá
Faceag (Ciências Contábeis e Administração

Alunos atendidos
Esses 36 cursos de 12 faculdades atendem hoje 10.124 estudantes da região


Opinião
Para especialista, preços baixos cobrados pelas faculdades particulares para preencher todas as vagas têm reflexo direto na qualidade de ensino

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…