Pular para o conteúdo principal

Curso para formação de maridos

Veja em detalhes o novo curso de formação de maridos

Postado em Uncategorized em 2 02UTC dezembro 02UTC 2010 por noticiasimpossiveis
 

Objetivo pedagógico:
Permite aos homens desenvolver a parte do corpo da qual ignoram a existência (o cérebro).
São 4 módulos:
Módulo 1: Introdução (Obrigatório)
1 – Aprender a viver sem a mamãe. (2.000 horas)
2 – Minha mulher não é minha mãe. (350 horas)
3 – Entender que não se classificar para o Mundial não é a morte. (500 horas)
Módulo 2: Vida a dois
1 – Ser pai e não ter ciúmes do filho. (50 horas)
2 – Deixar de dizer impropérios quando a mulher recebe suas amigas. (500 horas)
3 – Superar a síndrome do ‘o controle remoto é meu’. (550 horas)
4 – Não urinar fora do vaso. (1000 horas – exercícios práticos em vídeo)
5 – Entender que os sapatos não vão sozinhos para o armário. (800 horas)
6 – Como chegar ao cesto de roupa suja. (500 horas)
7 – Como sobreviver a um resfriado sem agonizar. (450 horas)
Módulo 3: Tempo livre
1 – Passar uma camisa em menos de duas horas. (exercícios práticos)
2 – Tomar a cerveja sem arrotar, quando se está à mesa. (exercícios práticos)
Módulo 4: Curso de cozinha
1 – Nível 1. (principiantes – os eletrodomésticos) ON/OFF = LIGA/DESLIGA
2 – Nível 2. (avançado) Minha primeira sopa instantânea sem queimar a Panela.
3 – Exercícios práticos Ferver a água antes de por o macarrão.
Cursos Complementares
Por razões de dificuldade, complexidade e entendimento dos temas, os cursos terão no máximo três alunos.
1 – A eletricidade e eu: vantagens econômicas de contar com um técnico competente para fazer reparos.
2 – Cozinhar e limpar a cozinha não provoca impotência nem homossexualidade. (práticas em laboratório)
3 – Porque não é crime presentear com flores, embora já tenha se casado com ela.
4 – O rolo de papel higiênico: Ele nasce ao lado do vaso sanitário?
(biólogos e físicos falarão sobre o tema da geração espontânea)
5 – Como baixar a tampa do vaso passo a passo. (teleconferência)
6 – Porque não é necessário agitar os lençóis depois de emitir gases
intestinais. (exercícios de reflexão em dupla)
7 – Os homens dirigindo, podem SIM, pedir informação sem se perderem ou correr o risco de parecerem impotentes. (testemunhos)
8 – O detergente: doses, consumo e aplicação. Práticas para evitar acabar com a casa.
9 – A lavadora de roupas: esse grande mistério.
10 – Diferenças fundamentais entre o cesto de roupas sujas e o chão (exercícios com musicoterapia)
11 – A xícara de café: ela levita, indo da mesa à pia? (exercícios Dirigidos por Mister M)
12 – Analisar detidamente as causas anatômicas, fisiológicas e/ou psicológicas que não permitem secar o banheiro depois do banho.
O curso é gratuito para homens solteiros e para os casados damos bolsas.
DA CORRESPONDENTE MPSP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…