Pular para o conteúdo principal

Carta Aberta


BASTA DE PERSEGUIÇÃO CONTRA SERVIDORES
Rio Preto
 
A prática de perseguição contra servidores municipais vem destacando e ganhando relevância em São José do Rio Preto desde a posse do atual prefeito – Valdomiro Lopes Da Silva Junior – PSB.
Em especial na área da saúde, os servidores são assediados moralmente e remanejados de local de trabalho por quaisquer questionamentos que façam às intransigências daqueles que têm cargos de confiança, ficando coagidos a calarem-se pela certeza de que a situação acaba piorando.
O exemplo mais claro e chocante é o da servidora Sanny Lima Braga, concursada há cerca de vinte anos e que está prestes a ser demitida. Enquanto era presidente do Conselho Municipal de Saúde, a entidade cumpriu seu papel de fiscalizar a aplicação dos recursos públicos e alguns fatos se tornaram públicos, como um assessor do prefeito, conhecido como Junior Baiano (PSB/BA), que responde processo no interior do Estado da Bahia por desvio de recursos do SUS; a existência de um caixa dois que ocultava os números reais da epidemia de dengue na cidade, entre outros.
Contrariados com a exposição, os gestores interferiram e conduziram como bem quiseram o processo eleitoral do Conselho Municipal de Saúde, apesar de estarem sendo questionados judicialmente e Sanny foi transferida da pasta da Saúde para um almoxarifado da Administração.
Também foram abertos processos administrativos, enquadrando em artigos do Estatuto do Servidor – Lei 05/90, cujos conteúdos são verdadeiramente interpretativos e subjetivos. A demissão da servidora depende apenas da vontade do prefeito Valdomiro Lopes da Silva-PSB e todos são unânimes em crer que isso ocorrerá em breve.
Esse é o caso mais grave que se apresenta no momento, contudo, dezenas de servidores relatam perseguição, mas negam-se a providências cabíveis por estarem realmente coagidos e amedrontados.
O Movimento Sindical está sendo chamado a se unir diante das práticas ditadoras que se apresentam, enviando fax e e-mail de Moção de Repúdio contra as atitudes de Valdomiro Lopes da Silva Junior–PSB, bem como os Movimentos Sociais e deputados representantes dos trabalhadores.
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Autárquicos de São José do Rio Preto e Região – FETAM –CONFETAM-CUT, com o apoio de Centrais Sindicais e com a participação de vários Sindicatos, realizará no próximo dia 20, a partir da 11h, um ATO CONTRA O ASSÉDIO MORAL E PELO FIM DA PERSEGUIÇÃO A SANNY.
Esperamos ainda a mobilização do PSB – Partido Socialista Brasileiro - tomando as providências cabíveis e previstas em seus Estatutos contra as atitudes desrespeitosas de seu filiado Valdomiro Lopes da Silva Junior, pois o socialismo não admite práticas anti-sindicais e restrições ao controle social.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…