Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Ressaca




Luciano Alvarenga
Em primeiro lugar o fato de que serra teve ontem praticamente os mesmos votos que teve o Alckimim no segundo turno de 2006. Ou seja, em 4 anos não aconteceu nada nas hostes tucanas que levasse mais eleitor a votar no Serra. Os mesmos que votaram no Alckimim praticamente votaram no Serra agora.
Isso pode significar que a oposição bateu num certo teto eleitoral. O que coloca várias questões. Por que não aumentaram os eleitores da oposição, com acento no PSDB? Quais razões explicam a derrota do Serra? O que vai acontecer com o PSDB a partir de agora?
Por que não aumentou os eleitores da oposição? Talvez por que a oposição não tenha feito oposição. Estar na oposição não é ser do contra é oferecer um projeto de poder alternativo, o Serra não fez isso, pior colocou o Lula no seu primeiro programa de televisão. Serra apostou na sua biografia política contra a Dilma, perdeu. O Povo não vota em currículo, vota em expectativa.
O Serra passou a campanha toda falando de idéias e iniciativas, não de projetos, iniciativa de aumentar o salário mínimo, mas não em projeto de reforma da previdência e de emprego, falou de policlínicas, mas não de saúde pública em seu aspecto mais amplo. Falou do combate as drogas, mas não em violência urbana e a contaminação da corrupção nas policias, na política e no estado como o filme tropa de elite mostra didaticamente.
O PSDB é um partido em crise. Isso porque negou todos os seus princípios, aqueles dos tempos da fundação do partido pelo Mario covas e franco Montoro. Foi empurrado para a direita e deixou de ser um partido moderno para se transformar num partido dos grotões do Brasil, defendendo agendas que nada tem haver com as idéias fundadoras do PSDB.
O PSDB não sabe fazer oposição por que perdeu a capacidade de pensar o Brasil para além da agenda estritamente política. O Aécio faz sucesso em Minas por que desenvolveu lá um governo parecido com o do Lula no plano nacional, criou um bolsa família mineiro, empreendeu obras por todo o estado, modernizou a máquina pública, e deu forte acento as questões sociais.
O PSDB durante o governo FHC perdeu a conexão com seus projetos sociais democratas do tempo do Mario covas. Virou um partido voltado exclusivamente para questões financeiras e econômicas, o resultado foi que o PT pegou as bandeiras do PSDB e faz sucesso com elas hoje.
O PSDB precisa se repensar buscando suas origens. E mais do que isso precisa estudar a sociedade brasileira, o seus problemas, o que ela quer e espera do futuro. Isso significa que o partido precisa se oxigenar, dar espaço a gente nova, arejar os ares e olhar para frente. A eleição como o mais bem votado deputado estadual de são Paulo que foi a eleição do bruno covas evidencia que as pessoas entendem a renovação do partido quando isso ocorre.
O Brasil precisa mais do que nunca de uma oposição sadia, forte e com idéias que convençam a sociedade de sua viabilidade. Apelar para temas religiosos como forma de ganhar eleição o Serra viu que não dá certo.

Nenhum comentário: