Pular para o conteúdo principal

John agora é Jane e usa saia, e sua mulher não o deixou

John agora é Jane e usa saia, e sua mulher não o deixou

Andrea concluiu que o pior seria perdê-lo.
Por uns tempos, a britânica Andrea Fletcher ficou preocupada com o seu marido, o escritor e jornalista John Ozimek, com quem tem um filho hoje com  cinco anos, o Rafe. (Fotos acima)

John estava estranho. Estava calado, como se estivesse alguma coisa importante a dizer – e tinha mesmo.

Andrea temeu que o seu marido fosse lhe contar que estava gravemente doente ou que tinha ia deixá-la porque tinha se apaixonado por outra mulher.

Logo após do Natal do ano passado, John afinal teve uma conversa séria com Andrea, e, pelo que ela ouviu, qualquer mulher acabaria com o casamento. Mas não ela.

John disse que ser homem lhe deixava infeliz e que, por isso, tinha decidido se tornar mulher. Passaria a se chamar Jane Fae e a vestir roupas femininas, como, de fato, ocorreu.

De início, Andrea ficou desnorteada. Ambos vivem juntos há muito tempo, e ela nunca desconfiou que pudesse haver uma mudança tão radical no comportamento do marido.

Mas Andrea decidiu continuar ao lado de John/Jane. Porque afinal o seu marido mudou de sexo, ao menos psicologicamente, mas continuou a pessoa de sempre: afável, honesto, inteligente e dedicado não só a Rafe como também a Meg, filha de 16 anos do primeiro casamento dela.

Rafe perguntou por que o seu pai estava vestindo saia. Andrea simplesmente explicou porque alguns homens são assim mesmo.

Algumas pessoas têm zombado do casal, como em um supermercado, onde o ex-John foi motivo de risos de duas moças.

Andrea ficou furiosa. Disse para as moças que eram feias e gordas. Elas se calaram.

E a vida prossegue. O menino não deixou de chamar o pai de pai e a família permanece unida e feliz.

E Andrea afirma a quem quiser ouvir que nunca pensou em abandonar a sua alma gêmea.

[Com informações do Daily Mail.]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…