Pular para o conteúdo principal

Avó fez sexo com neto de 15 anos para ‘tirar um demônio dele’

Avó fez sexo com neto de 15 anos para ‘tirar um demônio dele’

Entre 28 de julho de 2008 e 1º de agosto do mesmo ano, a professora Toni Stowers-Moore (foto), 53, masturbou seu neto de 15 anos e teve com ele relações com penetração com o propósito de exorcizá-lo de um “demônio sexual” que poderia atacar pessoas inocentes.

É o que Toni disse por telefone a parentes, que gravaram a conversa e a denunciaram à polícia de Durham, no estado da Carolina do Norte (EUA). A professora foi presa no dia 28 de agosto daquele ano, perdeu o emprego de assistente que tinha em escolas públicas e aguarda o julgamento.

O promotor Tracey Cline acusa-a de incesto, abuso de adolescente e estupro.

Inicialmente, Toni argumentou ter havido uma espécie de cerimônia religiosa na qual ela sacrificou o seu corpo para livrar o neto do   ‘demônio sexual’.

Agora, ela já estaria admitindo ter violentado o adolescente, provavelmente por orientação de seu advogado para não pegar a pena máxima nesse tipo de caso, de 12 anos de prisão.

Nos Estados Unidos, réu que admite seu crime obtém pena com atenuante, desde que haja um acordo entre defesa e acusação. No caso de Toni, se ela reconhecer a culpa, o tempo da prisão cairá para seis anos.

O julgamento estava previsto para terça-feira (28), mas teve de ser adiado porque testemunhas, o neto e seus pais não compareceram ao tribunal. Todos foram intimados a não faltar mais.

O juiz Donald Stephens chegou a suspeitar que Toni tivesse transtornos mentais, mas mandou prosseguir a tramitação das acusações depois que peritos forenses atestaram a sanidade da professora.

Com informação e reprodução de imagem do ABC News.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Classe média alta de Rio Preto no tráfico de drogas

Cocaína e ecstasy rolam solto na alta rodaAllan de Abreu Diário da Região Arte sobre fotos/Adriana CarvalhoMédicos são acusados de induzir o consumo de cocaína e ecstasy em festas raveFestas caras com música eletrônica e bebida à vontade durante dois ou três dias seguidos, promovidas por jovens de classe média-alta de Rio Preto, se tornaram cenário para o consumo de drogas, principalmente ecstasy e cocaína. A constatação vem de processo judicial em que os médicos Oscar Victor Rollemberg Hansen, 31 anos, e Ivan Rollemberg, 25, primos, são acusados pelo Ministério Público de induzir o consumo de entorpecentes nesse tipo de evento.

Oscarzinho e Ivanzinho, como são conhecidos, organizam há seis anos a festa eletrônica La Locomotive. A última será neste fim de semana, em Rio Preto. Cada festa chega a reunir de 3 mil a 4 mil pessoas. Segundo a denúncia do Ministério Público, os primos “integram um circuito de festas de elevado padrão social e seus frequentadores, em especial os participa…