Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

domingo, 7 de novembro de 2010

As razões que mataram Humberto Baitelo




Este fim de semana morreu meu colega de trabalho e amigo Humberto BAitelo. Baitelo era jornalista, professor universitário, foi secretario da prefeitura de Mirassol em épocas passadas, militante político das melhores causas e morreu num acidente de carro na W.Luis provocado por um garoto de 18 anos, bêbado dirigindo a mais de 150 por hora e que havia ganho o carro dos pais aos 16 anos. Meu amigo Humberto seguia em sua mão normalmente quando foi violentamente atingido por trás, a pancada foi tão forte que ele morreu na batida e não nos seguidos capotamento do carro.
O garoto matou Baitelo. Professor, pai, uma liderança e uma inspiração para os alunos, cara ético, serio, coisa rara nos dias de hoje, morreu por que um garoto resolveu encher a cara e dirigir.
Matou não apenas o Humberto, matou o que ele fazia, matou as pessoas que nele se inspiravam, matou um pouco de todos os amigos dele. Matou o que ele ainda faria, as pessoas que educaria, matou a alegria dos amigos que com ele tinham relação.
A morte do Baitelo é fruto do culto à cerveja no Brasil. Sua morte é fruto da idéia de que ser homem é beber, encher a cara e contar na segunda feira quantas caixas de cerveja foram tombadas no fim de semana. Este garoto pode contar que bebeu todas e ainda matou o Baitelo.
A morte do BAitelo é conseqüência de uma sociedade que abandonou qualquer compromisso com a educação e a formação ética e moral dos jovens. A molecada está livre para fazer o que bem entender, matar inclusive. A juventude de hoje, em geral, é o oposto daquilo que a sociedade deveria cultivar. Seu julgamento das coisas é o avesso da realidade. A covardia e a apatia dos adultos deram a jovens como este que matou Baitelo, o direito de mandar e desmandar, fazer e desfazer sem responsabilidade alguma. Matam e nada acontece. Dizem que o garoto é de casta nobre, diga-se rica, de Mirassol. Com isso estamos dizendo quase tudo do que irá acontecer daqui para frente.
A sociedade caminha à beira do abismo guiada por uma juventude sem rumo, sem direção, sem compromisso e isso tudo pelo simples motivo de que são jovens. Me Desculpe meus jovens, mas vocês foram convencidos de que são a vanguarda da sociedade, não são, os adultos deveriam ser, mas abdicaram deste papel, se acovardaram, estão entretidos demais com a própria beleza para pensar nos rumos que a sociedade deve tomar.
 Baitelo, um homem que não se furtava o dever de ser adulto foi morto por um garoto que provavelmente nunca conheceu um adulto que lhe educasse.
BAitelo, você fará falta. Lamentavelmente não pude conhecê-lo mais, mas espero e confio que esteja bem agora.Luciano Alvarenga

4 comentários:

Dani Matuo disse...

Por mais que doa, ouvi uma frase que me confortou muito:
"Aquele que divide sua sabedoria jamais morrerá"

Ele era um desses!

Daniela Matuo

Jorge Miklos disse...

A sociedade está repleta de jovens assim que assassinam Baitellos todos os dias nas ruas e nas salas de aulas todos os dias. Jovens de classe média que desrespeitam os pais, a escola, os professores, os funcionários dos edifícios onde moram, os mais humildes, as pessoam que vivem em outros estados. Sinto-me mais seguro na Cracolândia do que na Vila Mariana. Jovens assim são assassinos de Humbertos e da Democracia.

vani disse...

O Humberto foi meu primeiro namorado. Aos 18 anos ele era delicado, idealista, serio, muito serio e já mostrava essa pessoa q vc conta. Soube agora. Estou chocada. Queria te-ló visto adulto. Era um doce.
Vania alves

Daniela disse...

Caraca cara.... não o conhecia pessoalmente, mas eramos parentes... o conheci na internet e conversavamos as vezes. Há alguns dias estava pensando comigo:"pq será q o Humerto sumira???" ... hj, por engano, digitei meu sobrenome no google e achei este post.... pena este fato ter ocorrido....