Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A roupa suja no PSDB

A roupa suja no PSDB

Folha de S.Paulo - Painel - 21/10/2010

RENATA LO PRETE - painel@uol.com.br

Redução de danos

Antes animados com o potencial de estrago do "dossiegate" na campanha de Dilma Rousseff (PT), tucanos passaram a se preocupar com o risco de cizânia interna diante do noticiário sobre o suposto envolvimento do grupo de Aécio Neves na violação de sigilo fiscal de pessoas ligadas a José Serra. "Roupa suja só se lava depois da eleição", diz um dirigente.
Para coordenadores da campanha do PSDB, qualquer sinal de estremecimento entre os dois expoentes nacionais do partido implodiria o plano de Serra de engajar o senador eleito no esforço derradeiro para atrair o eleitorado mineiro no segundo turno.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po2110201001.htm


Betinho, São Francisco de Assis. Menos quando falava do Serra
Conversa com bom amigo que esteve na festa dos artistas para a Dilma, no Teatro Casagrande, no Rio.
- Como é que foi ?
- Emocionante !
- Qual a melhor frase da noite ?
- A do Chico ganha disparado: os tucanos falam fininho com Washington e grosso com a Bolívia.
- É verdade.
- É o melhor resumo da “política externa” do Fernando Henrique e seu filhote.
- E pega a Miriam Leitão, também, que queria invadir a Bolívia, te lembra ? Depois, a Venezuela ! Ela também fala grosso !
- Sim, claro !
- E o Boff ?
- Também foi uma bela frase: a esperança venceu o medo e a verdade vencerá a mentira !
- Isso dá um bom slogan para o João Santana.
- Claro, disse o bom amigo ! Isso ganha uma eleição.
- Você está confiante ?, pergunto.
- A boca do jacaré já abriu, companheiro.
- É, mas para  mim, a melhor frase é a do Fernando Morais …
- Sim ! Belíssima ! Na testa do Serra ! Voto na Dilma porque conheço o Serra há trinta anos e sei do mal que ele pode fazer a este país !
- Um tiro no peito, não ?
- Se o Fernando encontrar com o Serra numa noite escura, o Serra crava o dente no pescoço do Fernando.
- E a história da bolinha de papel ?, pergunto.
- O Serra é um incompetente. O Lacerda pelo menos deu um tiro de 45 no pé …
- É … no atentado do major Vaz…
- Mas, bolinha de papel …
- Que “papel” triste do Serra, nesse fim de carreira, não ?, pergunto.
- Eu nunca vi um político que não tivesse pelo menos um amigo. Só o Serra.
- Mas e o Fernando Henrique, o Aécio ?
- Eles se odeiam.
- Se odeiam ?
- Os três se odeiam entre si …
- Impressionante.
- É, o Serra não tem um amigo.
- Não tem um único, solitário amigo !
- Ouvi dizer que lá em Minas todo mundo sabia que o Aécio sabia que o Itagiba mandou uns sicários para vasculhar a vida pessoal do Aécio.
- E daí nasceu o livro do Amaury …
- Todo mundo sabe disso, sentenciou o meu amigo.
- Mas, você tem razão: que fim de carreira melancólico, solitário, esse do Serra …
- Você quer  saber de uma coisa ? , disse o meu amigo. Lembra do Betinho, aquele santo homem, o da batalha contra a fome …
- Sim, o irmão do Henfil …
- Exato. O Betinho era um santo, não é isso ?
- Um São Francisco de Assis …
- Você sabe que o Betinho foi da AP, a Ação Popular …
- A mesma AP do Serra.
- Pois, vou te contar uma coisa que uma amiga íntima do Betinho contou. O Betinho era incapaz de falar mal de alguém. Incapaz ! Mas, toda vez que alguém falava o nome do Serra perto dele, o Betinho perdia a cabeça e bradava: esse é um f … da p … !  
Pano rápido
Paulo Henrique Amorim

Nenhum comentário: