Redes Sociais conectam ideias e visões de mundo

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Paraibuna


Paraibuna: 2012
Luciano Alvarenga
Desde que o Loureiro deixou a prefeitura de Paraibuna, duas coisas aconteceram: a implosão da oposição e a rearticulação do “Grupo”, ainda que com todas as brigas internas, em torno do Barros. O Barros, eleito de forma incontestável e agora com o caixa da prefeitura abarrotado, dá mostras de que não perderá a oportunidade de fazer uma boa administração. Paira no ar a pergunta, que só terá resposta em 2012, se o atual prefeito será ou não candidato a reeleição, dada a sua situação no banco onde trabalhou boa parte da vida. Enquanto isso o Vitão segue se exercitando como prefeito extra oficial. Aparece em eventos de todos os tipos, inaugura obras, articula com políticos regionais e estaduais, conversa com a população, atende pequenos pedidos, promete outras tantas coisas, tem Orkut com milhares de amigos e agora um Blog que divulga cada passo que ele dá na cidade. Caso o Barros não saia candidato é ele quem está em melhores condições para disputar. Se a população confia nele para o cargo, só as urnas dirão.
A vereadora Helô que no seu primeiro mandato na Câmara fez e aconteceu, neste está apagada. Era um nome forte para disputar espaço com o Vitão para encabeçar uma possível chapa; hoje dificilmente. A explicação é a ação pesada, massacrante que o presidente da Câmara exerce sobre ela. Klinger é o lado político mais atrasado de Paraibuna. Vocifera contra Deus e todo mundo. Saiu aos murros com o secretário municipal Marquinhos, e até hoje desqualifica as empresas instaladas na cidade para a obra de construção do gasoduto; mesmo com todas as evidencias positivas que tais obras tiveram para o município. A quem diga que ele, Klinger, possa ser candidato a prefeito; certamente seria uma peça importante na disputa.
O João Batista continua discreto e certamente é o mais cerebral dos vereadores, além de ser o mais racional na oposição; a oposição nunca reconheceu sua importância nem lhe deu maiores oportunidades para voos mais altos. A oposição é a única que perde com isso. Inventou o João Sales e depois o abandonou em favor do flautista encantador que apareceu na Tamoios. Hoje não tem nenhum nem outro. Resultado, uma oposição em frangalhos. Agora surgiu o médico Zé Cláudio. A oposição excitou-se com a possibilidade de ter um nome competitivo, os mais de três mil votos que ele teve na cidade é um inicio. A pergunta é: os mesmos que votaram nele para deputado votariam para prefeito? Parece natural que sim, mas não é. Outra questão: por que o médico? .

Provavelmente a oposição aparecerá com um nome em janeiro de 2012. Perderá a eleição e ficará reclamando que o povo não sabe votar. O problema da oposição é que ela não forma quadros políticos, não investe longamente em algum nome. O vereador João Batista, goste ou não dele, está lá a anos. Mas a oposição quer um nome de estirpe. Há quantos anos o “Grupo” carrega o nome do Vitão? A pelo menos 15 anos. Sem falar do Barros.
Mas sabe por que a oposição não investe no João Batista, ele é plebeu demais, da roça. Ainda que seja o único político da oposição que realmente está envolvido com a cidade a anos, fingem que ele não existe. Joaquim Rico, João Sales e Loureiro, suficientemente nobres para ocupar o cargo na oposição. Dr. Zélio foi um ponto fora da curva.
Conversei com pelos menos mais dois nomes novos e jovens que estão na lista para substituir o Vitão. Garotos alegres, universitários, bem entrosados e que testarão seus nomes nas próximas eleições. Na oposição nada.
Se o Vitão conseguir presidir o PSDB local, que é o seu desejo, o Dr. Fernando automaticamente passa para a situação.
O quadro está mais ou menos assim. Se o Barros competir nada muda, e a oposição será massacrada. Se o Barros não for candidato, e as coisas dão pinta de que não será, o candidato muito provavelmente será o Vitão. Nesse caso haverá uma fragmentação da situação talvez em dois ou três candidatos. Em qualquer caso a oposição entra como coadjuvante. Para quem ainda sonha com o Luis Gonzaga candidato, esqueça. Ele gostou de ficar nos bastidores.
Aproveito para agradecer aquelas pessoas que votaram, a meu pedido, no Bruno Covas para deputado Estadual.
PS: enquanto na Educação o Sr. Evânio faz um competente e belo trabalho, na Fundação, enfim, deram uma oportunidade ao Rafael Ribeiro, no Esporte o Laurinho...

Nenhum comentário: