Pular para o conteúdo principal

Claudio Manuel do Casseta e Planeta pede desculpas

CAsseta pede desculpa


SURRA DE DILMA!
Ok.. ok.. nocaute !
Vocês ganharam ! Piada é feedback e a da Dilma/Dunga saiu pela culatra. Achei que estava sendo crítico e engraçado, pra alguns fui, pra maioria absoluta, não. Ingenuamente, confesso que não contava com tamanha "resposta", fui muito "lesado" ao cutucar militância com vara curta.
Quando se "sacaneia" alguma celebridade sempre se deve contar com a reação até raivosa dos fãs, mas acabei provocando uma ira santa, uma jihad.
Entonces, foi mal aí... fui mesmo idiota em não contar que a pegada da piada machucasse tanto. Também me surpreendeu o tamanho da "nóia", quanta gente que vê conspirações e inimigos para todos os lados, mesmo tendo a maioria esmagadora de apoio popular e o favoritismo eleitoral absoluto. O desejo de censura, as ameaças, as "propostas" para cercear a liberdade de expressão, também aparecerem em grande quantidade nos ataques (ou contra ataques) que recebi.
Mas tudo bem... quem entra na briga é pra bater e apanhar. Nesse caso, a surra recebida foi bem maior que no meu antológico embate com Las Tequilleras, que foi menos violento e mais "prazeiroso".
Ok... ok... nocaute!
Aos que se sentiram, sinceramente, ofendidos, que acharam a piada agressiva e grosseira... minhas desculpas. O freguês tem sempre razão.
Aos que se manifestaram, porque estão mesmo é defendendo o leitinho das crianças, aos que têm os Chávez da vida no coração, aos que sonham pelo controle da opinião alheia, aos que sempre atacaram ferozmente, mas não aceitam o troco... a esses não me desculpo, não!
Encerro aqui a temática eleitoral in my brógui. Aceito o conselho dos que me recomedaram pular fora dessa seara tão "apaixonada".
Beijunda!
fonte: Blog do Claudio Manoel

Por CDM in Blog do Nassif
Esse comentário postado lá na página do Casseta pelo Gustavo merece ser lido e reproduzido:
7
Gustavo:
6 setembro, 2010 as 10:08 am
"confesso que não contava com tamanha "resposta", fui muito "lesado" ao cutucar militância com vara curta."
Olha, seu Claudio Manuel, nao se trata de militancia, de Jihad, de ira santa. Trata-se de uma grande maioria já de saco cheio do conservadorismo da mídia brasileira (e vc está fazendo o jogo dessa mídia reaca, quer vc tenha consciência disso ou nao).
É evidente que existem dois pesos e duas medidas pra tratar políticos do PT e o resto, seja no noticiário, seja em revistas, em jornais ou mesmo em programas de humor como o seu. É isso que as pessoas estao percebendo e é por isso que vcs da mídia estao a cada dia com mais descrédito (vide 80% de aprovacao do Lula). As pessoas simplesmente se deram conta de como se dá o jogo de poder neste país (e ninguém é santo nessa história).
E vai além, nao se trata apenas de implicar com o PT, mas com todos os temas mais progressistas. Eu nunca vi vcs do casseta sacanearam o típico egoísmo dos ricos brasileiros, por exemplo. Só sacaneam pobre e as pessoas de sempre. Por quê? Eu nunca vi o casseta sacaneando latifundiários, grileiros, pessoas essas muito mais prejudiciais pro Brasil do que um Bin Laden. E no entanto está lá o Bin Laden com a Jurema. Meu, o que isso tem a ver com a gente, com os nossos problemas? Se querem fazer um humor crítico, que facam com alguma substância, porque do jeito que estao fazendo, estao em perfeita sintonia com a visao simplista de Brasil e de mundo que a mídia brasileira quer nos enfiar goela abaixo. Chega! Vcs podem fazer diferente! Queremos opinioes diferentes na mídia, chega desse uníssomo conservador que contaminou até vcs humoristas!
"O desejo de censura, as ameaças, as "propostas" para cercear a liberdade de expressão, também aparecerem em grande quantidade nos ataques (ou contra ataques) que recebi."
Está superdimensionando os comentários dos mais extremados (os quais existem de qualquer lado, tem gente de direita que quer a volta da ditadura pra se livrar do Lula e de uma possível Dilma presidente), os quais, pelo que eu pude notar, sao de uma minoria bem pequena. A grande maioria te criticou com propriedade, nao distorca as coisas.
E quanto a liberdade de expressao.... Vc nao está satisfeito em mudar o sobrenome da Dilma para Boquete, Safadete, Ladrete entre outras? A Veja nao está satisfeita em fazer uma capa com um chute na bunda do Lula? Nao estao satisfeitos em ameacar dar porrada no Lula lá congresso? Que mais vcs querem? Dejetar na cabeca deles para terem certeza que a liberdade de expressao está no bolso de vcs? Aliás, agradeca ao Lula pela liberdade de expressao que vcs tanto dizem que ele quer tomar, pois se nao fosse ele pra dar cara a tapa lá em Sao Bernardo, assim como os "cumpanheiros" dele que vcs vivem metendo o pau, a ditadura ainda estava aí e vcs sequer comecado alguma coisa, a nao ser que vcs optassem por um humor cego aos acontecimentos, como os trapalhoes e o Cico Anysio toparam. Aliás, saudades do Planeta Diário.
Saudacoes!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…