Pular para o conteúdo principal

Encontro amoroso


Relacionamento significa laço, parceria, cumplicidade, associação em torno de um projeto de vida. Para isso tudo é necessária maturidade.


Maturidade é ser adulto, e ser adulto é entender que a vida não é uma balada pra sempre. Essa questão está na raiz dos relacionamentos mal fadados e daqueles que não querem um relacionamento estável e duradouro.


É evidente que uma relação amorosa estável entre duas pessoas maduras, inteligentes, preparadas para uma caminhada juntos é muito melhor do que uma vida perambulando por bares e festas, transando gente que nunca mais se verá, sendo usado e usando as pessoas, vivendo experiências desagradáveis e que mais angustiam do que libertam.


É claro que este discurso da felicidade na solteirice, do faço o que quero e o que bem entendo, é um discurso ideológico, criado para alimentar um mundaréu de gente com a comida do consumo. Todo mundo que lida com isso sabe, que gente feliz não consome; gente triste, angustiada, depressiva, infeliz, magoada, rejeitada, essa gente sim consome.


E quando estamos mais expostos a estes péssimos sentimentos?, quando estamos sozinhos, desiludidos, desanimados, desencantados.


Nada supera em termos de realização pessoal o encontro amoroso, o encontro de uma parceria amorosa fecunda, profunda. O melhor momento na vida de solteiro não supera o melhor momento na vida de um casal que está bem e feliz, realizado como casal.


É uma balela este papo de dizer que a vida a dois é ruim, o que é ruim é o não encontro, o não amor, a não parceria. Duas pessoas que vivem, mas não estão juntas, não se amam, não se querem, certamente termina numa droga de relação.


Por mais que a propaganda venda a idéia de estar livre para se fazer o que bem se entende, a verdade é que nos sentimos realmente livres, quando podemos nos dispor a uma relação amorosa de verdade. Livre para ir em bar toda a noite não é liberdade é disponibilidade, livre para transar qualquer pessoa qualquer dia da semana não é liberdade é falta de critério.


A experiência amorosa com alguém que está em sintonia com a gente é insuperável e continua sendo o que as pessoas mais desejam. Luciano Alvarenga
Rodrigo disse...
legal essa defesa q vc faz... com certeza isso é bom pra muitos casais... mas será q isso seria bom pra todos os adultos? e durante toda a vida adulta? ñ sei... sou um ''adultecente'' de 36 anos, moro sozinho, ñ tenho filhos e acho q vou indo bem... ñ troco essa vida por outra... acho q é questao d gosto... te adimiro man, mas prefiro suas posiçoes politicas... abrç.

Comentários

Rodrigo disse…
legal essa defesa q vc faz... com certeza isso é bom pra muitos casais... mas será q isso seria bom pra todos os adultos? e durante toda a vida adulta? ñ sei...

sou um ''adultecente'' de 36 anos, moro sozinho, ñ tenho filhos e acho q vou indo bem... ñ troco essa vida por outra... acho q é questao d gosto...

te adimiro man, mas prefiro suas posiçoes politicas...

abrç.
ACho que morar sozinho e não ter filhos não é ser adultecente. ser adultecente é casar ter filhos e viver como se não os tivesse. Nem todo mundo nasceu para casar e ter filhos, isso não implica em não ser adulto. ser adulto, entendo, como ter responsabilidade em todos os sentidos e direções. Agora, é mais natural, no sentido de ser mais comum, as pessoas em algum momento da vida escolherem uma parceira,o, para viver; ainda que em casas, cidades ou paises diferentes, ainda que isso não implique em filhos, por exemplo. É isso, meu caro rodrigo.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o mundo tivesse 100 pessoas LEGENDADO (premio Cannes)

Ter pinto é crime

Luciano Alvarenga
Uma coisa é o movimento feminista, outra, são as mulheres. Feministas gostam de política, ou pelo menos de terem contra o que levantar suas bandeiras de ódio; mulheres gostam de homens e de uma vida alem da política. O movimento feminista foi desde o princípio, pelo menos aquilo que se pode chamar assim, nos anos 1950, não em direção as mulheres, mas contra os homens. O homem sempre foi o alvo do movimento; não se trata de libertar a mulher seja do que for que se imagine ela precise ser liberta, mas de constranger o masculino de tal forma que o movimento feminista, não as mulheres, tenha mais e mais poder. Aliás, o movimento feminista não está nem ai com as mulheres, basta ver o absoluto silêncio desse movimento em relação à presença de um jogador de vôlei masculino (há quem acredite que lhe terem amputado o pênis e convertê-lo numa vagina, o tornou mulher, kkkkk) num time feminino, sem que isso cause o menor constrangimento político no movimento feminista (aqui é mais…

Sem chão nem utopia

Luciano Alvarenga A grande promessa da modernidade foi oferecer liberdade contra tudo e qualquer coisa que pudesse impedir os indivíduos de fruírem a vida sem amarras. Podemos dizer que, tal liberdade foi conquistada plenamente, e ainda que alguns resquícios de passado, com suas imposições e limites ainda resistam, derretem rapidamente nesse momento; não deixando atrás de si nada que possa servir como estandarte pra novas rebeliões. Não há contra o quê se rebelar. Todos os sólidos do passado, seja moral ou secular, estão liquefeitos; ao indivíduo resta apenas o destino de se guiar, tendo a si mesmo como referência. Ao mesmo tempo em que goza de todas as liberdades, vividas ou sonhadas, realizadas ou posta como possibilidade, o que se desenha nas pegadas daquele indivíduo é o medo, o receio, a insegurança, a incerteza em relação a si mesmo e aos seus destinos possíveis. A própria ideia de destino nada mais é que uma imagem, uma ilusão de quem ainda pensa que se guia de acordo com alguma r…